Alguns promotores do Ministério Público de Minas Gerais começaram uma campanha em suas redes sociais. Na imagem, que está sendo publicada por eles, a bandeira do Brasil e de Minas Gerais estão interligadas junto com a frase: “Sou promotor de justiça e tenho orgulho da minha missão em prol da sociedade”.

A campanha foi iniciada logo após a ameaça de congelamento dos salários dos servidores públicos de Minas Gerais. O projeto traz um reajuste de 5% no vencimento dos promotores e procuradores, que atualmente varia de R$30.404,42 a R$35.462,22. Essa medida é apontada pelo Executivo como a alternativa para sanar as finanças do Estado que tem um déficit previsto de R$11,3 bilhões para este ano.

O ajuste fiscal é um conjunto de propostas elaboradas pelo governo que são necessárias para que o Estado possa aderir ao plano de recuperação da União. A expectativa é de que os textos chegarem na Assembleia Legislativa até o final deste mês, e prevê medidas “impopulares” como a venda da Cemig e Copasa. Além disso, o congelamento no salário dos servidores, redução de vagas e na carga horário de trabalhos.

As publicações também vieram logo após o promotor e colega, Leonardo Azeredo dos Santos, reclamar de receber um “miserê” de R$24mil e assim gerar revolta na opinião pública.

As publicações foram feitas via Facebook e todos os promotores receberam apoio nos comentários. No perfil de Gilberto Osório Resende, comentários como: “Nós temos muito orgulho em tê-lo atualmente em nossa cidade! Abraços” e “Tem que se orgulhar mesmo Dr.Gilberto. Conheço sua luta e suas ideias…” foram feitos.

Enquanto os procuradores fazem campanha pelo aumento dos salários pagos pelo órgão, o MPMG publicou edital de concurso que deve atrair milhares de candidatos, com 50 vagas ofertadas e salário inicial de R$ 30,4 mil.

Imprimir

Fonte:

Estado de Minas