Após mais de três horas de manifestação, o ato em apoio ao governo de Dilma Rousseff (PT), realizado na tarde desta quinta-feira (20) em Belo Horizonte, começou a se dispersar por volta de 19h30, com intervenções culturais e shows na praça da Estação, no Centro da capital.

O ato contou com a participação de até 2.500 pessoas, segundo a Polícia Militar (PM). O número é contestado pela Central única dos Trabalhadores (CUT), que aponta a presença de 12.000 pessoas nas ruas de Belo Horizonte.

Os manifestantes, em grande maioria usando camisas vermelhas da CUT, começaram a se concentrar na praça Afonso Arinos, por volta de 16h. No início do ato, cerca de 200 pessoas aguardavam para começar a passeata.

Na manifestação desta quinta, ao contrário do que ocorreu no protesto realizado no dia 12 de agosto, quando houve intervenção da PM, as principais ruas e avenidas das regiões Central e Centro-Sul foram completamente tomadas pelo protesto. Manifestantes passaram pela avenida João Pinheiro, rua Guajajaras, avenida Afonso Pena, rua da Bahia, avenida Amazonas e avenida dos Andradas.

Além da Cut, também participaram do ato integrantes da Frente Brasil Popular e de outros movimentos sociais. Embora a manifestação seja de caráter governista, os manifestantes contestam o ajuste fiscal proposto pela presidente Dilma Rousseff e o aumento das passagens de ônibus, promovido pela prefeitura de BH.

Durante o ato, a presidente da CUT-MG, Beatriz Cerqueira, afirmou que o objetivo da manifestação é garantir que não haja uma ruptura democrática. “Não é um protesto incoerente, não é pró governo. Nós defendemos a democracia e o trabalho”, alegou.  

Por volta de 19h, cerca de 1.500 ainda se encontravam na praça da Estação, onde manifestantes participaram de intervenções culturais e shows. Trinta minutos mais tarde, alguns militantes começaram a se dispersar. 

Outros Estados

Também ocorreram manifestações em apoio ao governo Dilma em outras capitais do país. Foram registrados protestos em AL, AP, BA, CE, ES, GO, MA, MS, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RS, SC, SE, SP e TO e no DF, além de Minas.

Em Brasília, manifestantes se concentram na praça do Conic. Em São Luís, a Polícia Militar informou que 400 pessoas participaram do ato. Os organizadores falam em 1.500.  No Recife, a manifestação lotou as ruas e avenidas.

Jornal O Tempo

Imprimir
Comentários