O Ministério da Educação e Cultura (MEC) cancelou, na madrugada desta quinta-feira (1°), a prova do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) que seria realizada neste final de semana. Há suspeita de que o conteúdo das provas tenha vazado em São Paulo.
O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse na manhã desta quinta-feira (1) ao Bom Dia Brasil, da TV Globo, que será feita uma investigação para saber em que momento da impressão da prova aconteceu o vazamento. Segundo ele, há fortes indícios de que houve a subtração de um exemplar da prova.
Este exemplar da prova está comprometido. A equipe técnica constatou que o material correspondia a alguns itens da prova. Será feita uma investigação para identificar em que momento da impressão da prova um exemplar foi furtado. É a primeira vez que [isso] aconteceu em uma prova do Enem, afirmou. Nós vamos ter que fazer junto ao consórcio [que aplica o exame] uma investigação para chegar aos responsáveis e prendê-los. Isso não pode acontecer, em virtude da vigilância severa.
Segundo o ministro, outra prova será realizada assim que se concluir a impressão das novas questões. Haddad disse que ficou feliz pelo fato de os estudantes não terem feito a prova. Em primeiro lugar eu fico feliz de não terem feito a prova, você imagina o que seria cancelar a prova depois de realizá-la? Seria um trauma muito grande [para os alunos], disse o ministro. Quem está inscrito permanece inscrito, basta aguardar nova data. [O estudante] deve usar o tempo que ganhou com esse incidente para estudar.
Inep
O presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes, disse que, a princípio, o órgão não cogita mudanças em sua diretoria por causa do vazamento.
Cancelamento
O MEC cancelou a prova, informou a assessoria de comunicação social do Ministério da Educação, que confirmou também que a decisão partiu do ministro Fernando Haddad, após conhecer denúncia feita pelo jornal O Estado de São Paulo, de que a prova teria vazado.
Haddad concederá entrevista nesta quinta, na sede do MEC, em Brasília, para explicar os procedimentos com relação ao Enem. O MEC tem uma segunda versão da prova, mas ainda não está confirmado se essa versão poderá ser utilizada.
Cerca de 4,1 milhões de candidatos realizariam o exame. A expectativa do MEC é realizar a próxima prova, que tem como responsável o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), em 45 dias.
O jornal O Estado de São Paulo denunciou que foi procurado por um homem que disse ter as duas provas que seriam aplicadas no sábado (3) e no domingo (4), e que queria vender o material por R$ 500 mil.

print
Comentários