Não deu. Apesar dos esforços dos próprios funcionários em tentar chegar a um acordo junto ao provedor da Santa Casa de Caridade de Formiga, Dr. Geraldo Couto, em relação ao cumprimento do acordo vigente, ao que tudo indica, a greve é fato irreversível.
Paulo José de Oliveira, membro da Diretoria do Sindicato, esclarece que a decisão foi tomada durante uma Assembléia Geral realizada na tarde de quarta-feira (25) e que na reunião desta sexta-feira (27), o provedor não teria demonstrado querer colaborar com as exigências feitas pelos funcionários. ?Uma vez que nossas reivindicações não foram ouvidas, faremos o que a lei nos permite fazer?, esclarece Oliveira.
Na noite desta segunda-feira (02) uma última reunião entre os funcionários membros do Sindicato ainda será realizada para confirmar a realização da greve a partir de amanhã. ?A chance de realizarmos a greve é de 90%, mas é necessária uma nova reunião para confirmar alguns pontos?, encerra o sindicalista.
Leia na íntegra o manifesto do Sindicato dos Trabalhadores em Serviços de Saúde enviado à população formiguense:

COMUNICADO À POPULAÇÃO
GREVE NA SANTA CASA DE FORMIGA

O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM SERVIÇOS DE SAÚDE DE FORMIGA ? STSSF, quer por meio deste, comunicar à população em geral, a situação em que se encontram os funcionários da SANTA CASA DE CARIDADE DE FORMIGA (HOSPITAL SÃO LUIZ).
Após inúmeras dificuldades vividas no ano de 2008 para garantirmos o fechamento do Acordo Coletivo de Trabalho daquele ano, a atual direção/provedoria daquele Hospital está se negando em negociar o Acordo Coletivo de Trabalho de 2009 que é o instrumento legal que normatiza e regulariza os salários e as condições de trabalho de quem lá trabalha. O Sindicato vem tentando a solução pelas vias legais e com a participação do Ministério do Trabalho através da Sub Delegacia do Trabalho de Divinópolis, no entanto, a resistência em tabular as negociações com o Sindicato persiste.
Além de se negar negociar com o Sindicato, a atual Provedoria da Santa Casa vem retirando direitos dos funcionários, alterando jornadas de trabalho, terceirizando serviços do hospital (Raio X) o que somos totalmente contrários, vem perseguindo funcionários, chegando ao absurdo de usar de coação e ameaças aos trabalhadores, desestruturando seu quadro funcional, diminuindo a qualidade dos serviços que presta e gerando passivos preocupantes para a entidade. A Provedoria dispensou até a ajuda da comunidade, extinguindo a Campanha Santa Casa Nossa.
O Sindicato vem tomando algumas providências, como a formulação de denuncias ao Ministério Público do Trabalho e ao Ministério do Trabalho, além de estar ingressando com algumas Ações Judiciais ? o que é contrário à nossa vontade, pois, penaliza os parcos recursos do hospital.
A Santa Casa tem nos últimos dias contratado muitos funcionários, o que deveria ser positivo, no entanto, a verdade é que muitos funcionários (e bons profissionais) tem pedido conta e saído por não suportarem os baixos salários e as pressões constantes da direção daquele hospital, além de outros tantos, que tem afastado por motivo de doença, principalmente por depressão.
Pedimos uma maior sensibilidade e atitude por parte da Mesa Administrativa e Irmãos Benfeitores daquela instituição, que são os principais responsáveis no bem estar da Santa Casa, para não permitirem que a situação piore. Cabe também a toda a nossa comunidade vir se somar à nossa preocupação e fazerem gestões junto àquela Provedoria para que os funcionários sejam respeitados e valorizados, além é claro, de pedirmos medidas necessárias também a todas as nossas autoridades constituídas.
É público e notório que a Santa Casa vem nos últimos tempos recebendo vultosas quantias de recursos financeiros, graças à recente Intervenção Judicial que limpou o nome da entidade. Assim, é visível as reformas e construções que lá estão acontecendo, no entanto, é preciso não só levantar paredes, mas, principalmente, zelar pelo bem de seus trabalhadores e multi-profissionais que lá sempre a manteve de pé e funcionando.
Caso fique inviabilizado o fechamento do nosso Acordo Coletivo de Trabalho 2009 os funcionários da Santa Casa estarão, infelizmente, entrando em Greve no próximo dia três de março. Contamos com o apoio de todos vocês!
Formiga (MG), 20 de fevereiro de 2009.
STSSF

print
Comentários