Continua o impasse entre a Santa Casa de Caridade de Formiga e o Sindicato dos Trabalhadores em Serviços de Saúde de Formiga. Mesmo com o fim da greve, que foi deflagrada no dia 23 de abril e interrompida no dia 15 de maio, as partes buscam uma negociação.
Uma audiência no Tribunal Regional do Trabalho, em Belo Horizonte, realizada dia 26 de maio, determinou um prazo até o dia 30 de junho para que houvesse um acordo. Foram apresentadas algumas propostas que foram aceitas pelas partes envolvidas. Entretanto, a provedoria da Santa Casa teria descumprido uma das cláusulas e descontou no salário dos cerca de 60 funcionários os dias que ficaram de greve.
O sindicato pediu uma nova audiência por causa do descumprimento desse acordo e a audiência foi realizada nesta segunda-feira (22), sendo presidida pelo desembargador Caio Luiz Almeida Vieira de Mello, com a participação do Ministério Público do Trabalho, representado pela promotora. Marilza Geralda do Nascimento, com a participação de representantes da Santa Casa, do Sindicato e os respectivos advogados..
Segundo informou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores, Paulo José de Oliveira, após discutirem a situação, ficou acordado que a Santa Casa irá pagar aos funcionários o que lhes foi descontado, a título de antecipação, até que se resolva a negociação. Outro acordo é que, no prazo de cinco dias, será composta uma comissão paritária com dois representantes de cada parte, que farão a formulação de quesitos a serem apreciados pelo juiz da Vara do Trabalho, que poderá também formular quesitos se julgar necessário.
Na comissão paritária não poderá participar nem o presidente do sindicato nem o provedor, deverão ser indicados técnicos. O prazo para a negociação passou para o dia 30 de julho. No acordo feito no final de maio, já tinha sido determinada a criação dessa comissão, mas, segundo Paulo Oliveira, ela não chegou a ser composta porque o provedor descumpriu o acordo.

Assembléia
Para debater o assunto e apreciar a nova proposta, o sindicato fará nesta quarta-feira (24) uma nova assembléia, quando se decidirá sobre os próximos passos da negociação. Segundo o presidente, o provedor Geraldo Couto chegou a levar na audiência uma planilha com diversas questões, entre elas a diminuição da hora extra dos trabalhadores. Esse assunto também deve ser debatido na assembléia.
Procurado para falar sobre o assunto, o provedor da Santa Casa ainda não foi localizado.

print
Comentários