As eleições para escolher os presidentes do Partido dos Trabalhadores (PT) em âmbito nacional, estadual e municipal serão no dia 22 novembro. Em Formiga, a disputa tem dois candidatos: Marcos Ferreira (Marquinhos do PT) e Dimas José Silva.
Na edição desta semana do jornal Nova Imprensa, foi publicada uma entrevista com o candidato Marcos Ferreira, que foi vereador por dois mandatos e milita no PT há 10 anos, tendo sido membro do diretório nos três últimos mandatos. Na próxima edição, será publica a entrevista com o candidato Dimas Silva.
Marcos explica que foi formada uma chapa que é do diretório, com cerca de 35 pessoas, e elege-se esse diretório e o presidente. Então para o diretório temos uma chapa única e para presidente temos as duas candidaturas, a minha e a do Dimas. Esse diretório que foi eleito vai reunir e eleger a executiva (vice-presidente, tesoureiro, secretário), a nossa equipe de formação política, a disputa mesmo é para o cargo de presidente. O PT tem hoje 123 candidatos aptos a votarem
Situação do partido hoje
Sobre a situação do PT, Marcos Ferreira revelou: Na minha opinião, o PT não estava talvez preparado para assumir o governo, a administração, não só a nível de Formiga, mas a nível nacional, em várias cidades. O partido conseguiu superar este problema e acho que aqui em Formiga nós vamos conseguir superar. Mas no início, tivemos aqueles problemas, como as dificuldades, muitos talvez não ficaram satisfeitos em deixar o partido, e a nossa intenção é fazer esta reconstrução do partido. Fazer com que ele seja realmente, um partido político, que se interesse pelas coisas da sociedade. Esse é o nosso planejamento.
Marquinhos disse que o PT municipal sofreu uma queda e, interrogado se essa queda teria a ver com atual cenário político, principalmente no âmbito municipal, ele disse que não vê por esse lado. Eu vejo é a nossa questão, pois elegemos um prefeito e parece que não estávamos bem preparados, em seguida, passamos por uma gestão, reelegemos o prefeito e com isso começamos a trabalhar melhor. Hoje, vejo que dentro do PT não há mais uma divergência, não há mais questões polêmicas, sempre sentamos e conversamos. Percebemos que hoje isso está sendo mais bem trabalhado, questões de administração e de partido. É isso que queremos fazer um trabalho com o partido, mas também para está apoiando a administração.
Estratégias de campanha
Com relação às estratégias da campanha para a presidência do partido, Marquinhos diz que a intenção é conversar com todos os filiados do partido, incentivando a participação deles. Outro ideal é fazer uma maior conscientização política do eleitorado. Acho que o partido tem que trabalhar com os jovens, pois eles fazem seus títulos e vão para a primeira votação sem saber escolher bem o candidato.
Marquinhos já começou a se encontrar com os filiados, fará também por meio de telefonemas, além de um grupo que está trabalhando para esta finalidade, um trabalho em conjunto para a reconstrução do partido em Formiga. Eu vejo que o PT pode ajudar muito a comunidade formiguense e vamos partir por meio deste trabalho.
Como pretende agir nesta crise política que está instaurada, assumindo o PT?
Marquinhos disse que o partido terá um papel muito importante nessa questão. Eu vejo o quanto o PT poderia estar dialogando não só com a Câmara, mas com os diversos partidos que existe em nossa cidade, e com isso, logicamente estará também dialogando com os vereadores, que representam estes partidos, e tentar fazer este trabalho em um elo, entre a administração e a Câmara, colaborando com a administração municipal. Sinto que hoje a administração ela tem um trabalho muito bom e também a própria Câmara Municipal está realizando um excelente trabalho.
Alianças partidárias
A questão de uma aliança feita na Assembleia entre os partidos PCdoB, PT e PMDB gerar uma repercussão municipal, Marquinhos disse que acredita que possa realmente haver esta aliança, já que o PCdoB sempre caminhou junto ao PT. Vemos hoje o PMDB formiguense caminhando junto com o PT na administração, sendo até podemos dizer uma base de apoio ao prefeito e vamos trabalhar tentando fazer este diálogo, este intercâmbio. Eu acho que pode sim ter um diálogo com o PCdoB local, que não há problemas, pelo fato de ter acontecido algumas coisas nestes meses na Câmara Municipal, já que o presidente do Legislativo é do PCdoB, ainda vemos condições e oportunidades de trabalharmos juntos.
Marquinhos disse que é muito importante a participação dos vereadores do PMDB. Aqui em Formiga, percebo que muitas vezes partidos que eram de um lado, hoje talvez estão juntos com a administração, ou vice versa. Mas o nosso trabalho será fazer esse diálogo, para tentar apaziguar os ânimos e fazer um trabalho junto com a administração, com a Câmara e com os partidos, e quem sabe no ano que vem Formiga não saia com um candidato a deputado. Pois acho que temos que largar um pouco das vaidades e escolher uma pessoa que seja um bom representante para o município, pois Formiga merece um deputado para crescer ainda mais.
Nomes no PT municipal
Muito tem se falado que com a reeleição do prefeito Aluísio Veloso, que não poderá ser candidato nas próximas eleições para prefeito, o PT estaria sem um nome forte, mas Marquinhos disse que dentro do partido têm ótimos nomes. Vamos sentar e discutir isso, temos condições também de indicarmos nomes para prefeitos. Eu acho que a questão do Aluísio Veloso não poder mais ser candidato, eu acho que está aberto, pode aparecer vários candidatos e na sociedade formiguense há muita gente boa.
Campanha presidencial
Em relação à campanha para presidente da República, sobre um nome dentro do partido para substituir Lula, Marquinhos falou que está sendo trabalhando o nome de Dilma Rousseff. Vejo isso com bons olhos para o partido.
O que os petistas podem esperar se for eleito presidente?
Sobre o diferencial para os petistas, caso seja eleito, o candidato falou da participação dos filiados, procurando fazer reuniões em que todos participam e dêem opinião, não ficar somente a opinião do presidente. O PT é o único partido em que o filiado tem essa oportunidade de eleger a sua direção partidária, desde o nível municipal ao nível nacional. Pois essa eleição não será somente a nível municipal, vamos escolher também presidente e diretório.
Pretende voltar à Câmara Municipal?
Em relação a voltar a pleitear uma cadeira na Câmara Municipal nas próximas eleições, Marquinhos disse que não descarta a possibilidade, mas também não diz que é candidato. Sempre trabalhei a questão do momento, e também dependo da minha comunidade, se for aprovado por ela, serei candidato, senão for apoiarei uma pessoa escolhida.

Imprimir
Comentários