Lorene Pedrosa

Dar voz às reclamações de moradores de Formiga há um bom tempo, tem sido como “jogar palavras ao vento”.

Por mais justas e urgentes que sejam as necessidades da população, os problemas permanecem como prova física do desrespeito e da inoperância governamental.

O resultado é que, “vira e mexe” denúncias já estampadas nas páginas do Nova Imprensa e no portal Últimas Notícias voltam a ser feitas no intuito desesperado da população de atentar, mais uma vez, para o bom senso dos gestores municipais.

Dessa vez, o “repeteco” é de uma velha reclamação dos moradores do bairro Areias Brancas com relação à praça de esportes do bairro que continua em pleno abandono. No dia 16 de janeiro deste ano, também atendendo às reclamações, uma equipe do portal esteve no local e flagrou, dentre outros problemas, uma tabela de basquete arrancada da base e jogada em um dos cantos da quadra frequentada por crianças e adultos de todas as idades.

Oito meses se passaram e o amontoado de ferro continua jogado exatamente no mesmo local, predispondo os usuários a um grande risco.

A quadra que não passa por reformas há anos, continua sendo usada por amantes do futebol até no período noturno, onde eles não se mantêm por muito tempo devido à densa escuridão que toma conta do lugar, dando espaço a usuários de drogas. O local também é usado por alunos da Escola Municipal Franklin de Carvalho para as aulas de educação física.

As traves dos gols estão destruídas pela ferrugem e a outra tabela de basquete que permanece afixada na base, mas está com a cesta quebrada e já não cumpre a sua função. A cobertura de tela da quadra está destruída e problemas semelhantes de abandono são percebidos na praça localizada logo ao lado.

“Crianças se machucam aqui, onde deveriam aprender a gostar de esporte. A praça nunca deixou de ser usada, mas nunca foi cuidada pela administração, mesmo com os vários apelos da população que já capinou e limpou a praça várias vezes, até mesmo para evitar a infestação de escorpiões que já apareceram por aqui”, comentou um morador do entorno, que disse estar cansado de reclamar e não ver soluções.

print

Comentários