Com o isolamento por causa do coronavírus e a maioria das pessoas em casa, aumentou o número de matrículas em cursos remotos, via internet. A constatação é do gerente de desenvolvimento do Senac, Roland Anton Zottele, que informa que desde o início da quarentena os cursos oferecidos pela instituição receberam nada menos que 450 mil novas matrículas.

Todos são cursos gratuitos. Do total de inscrições, 70% são de alunos da Região Sudeste. “É onde está a grande concentração da população brasileira”, justifica Roland.

O aumento do interesse, segundo Roland, pode ser explicado pela resposta imediata do público às oportunidades de especialização. “Somente nessa sexta-feira (24), abrimos a oferta de 117 cursos. Ao meio-dia, só havia 74 sem estarem com as vagas esgotadas”.

A maioria dos cursos oferecidos é de curta duração, diz o gerente de desenvolvimento. Nesses casos, não há a necessidade de um professor. “São cursos em que a pessoa entra e faz, conclui.” Nesses, há 240 mil inscritos.

Existem também os cursos chamados tutoriais, aqueles em que os alunos podem interagir com o professor via internet. “Se ele tiver uma dúvida, se precisar de esclarecimento, ele tem a quem consultar, o professor”. Nessa modalidade, são 170 mil matriculados.

Existem ainda os feitos com parcerias tecnológicas com empresas. “São 36 mil matriculados, e são importantes para atender esse segmento”, afirma Roland, que cita ainda os cursos de extensão universitária, que tem hoje 7.500 matriculados.

Fonte: Estado de Minas

 

 

Imprimir
Comentários