A quarta morte por causa da chuva, desde o mês de outubro de 2011, em Minas Gerais, foi confirmada pela Defesa Civil nesta segunda-feira (2). De acordo com o órgão trata-se de uma idosa de 78 anos que morreu soterrada em Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata mineira, nesta manhã (2), ao tentar resgatar animais de estimação.
Segundo a Defesa Civil, a terceira morte também foi confirmada nesta segunda-feira, após um prédio desabar no bairro Caiçara, na região Noroeste de Belo Horizonte. Um homem morreu e uma mulher ficou ferida.
Os outros dois óbitos foram em 2011. Um homem morreu em outubro na cidade de Reduto, na Zona da Mata, e uma mulher morreu em novembro, em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce.
A orientação é para que as pessoas evitem passar por áreas alagadas, a pé ou de carro, observem sinais de encharcamento e movimentação do solo das encostas e abandonem suas casas preventivamente, caso estejam em área de risco. Além disso, é preciso evitar o acúmulo de lixo em vias públicas, porque pode prejudicar o escoamento da água.
O número de municípios mineiros em situação de emergência por causa das chuvas é 46. Segundo a Defesa Civil, ao todo, 2.121.144 pessoas foram afetadas pela chuva, sendo que 9365 estão desalojadas, 404 desabrigadas e uma desaparecida. Mais de 2 mil casas foram danificadas.
Mais de 130 ocorrências em BH
Mais de 130 ocorrências de chuva já foram atendidas pela Defesa Civil em Belo Horizonte, nesta segunda-feira (2). De acordo com o órgão, ao todo, foram verificados 139 registros, muitos relacionados a trincas, erosão, deslizamentos de terra, risco de desabamentos, etc.
Conforme alerta divulgado, se chuvas continuarem atingindo a cidade, córregos podem transbordar e inundar e gerar inundação no Barreiro, Betânia e no centro de BH. Há risco de inundação no bairro Betânia, na região Oeste de Belo Horizonte, devido ao alto volume do córrego Ferrugem. Na avenida Tereza Cristina com divisa do município de Contagem. Na avenida Afonso Vaz de Melo, no Barreiro, próximo ao córrego do Jatobá. E ao longo da avenida Prudente de Morais.
A orientação é para que as pessoas evitem passar por áreas alagadas, a pé ou de carro, observem sinais de encharcamento e movimentação do solo das encostas e abandonem suas casas preventivamente, caso estejam em área de risco. Além disso, é preciso evitar o acúmulo de lixo em vias públicas, porque pode prejudicar o escoamento da água.
Segundo a Defesa Civil, em dezembro de 2011, o total de chuva em Belo Horizonte foi de 720 mm, sendo que a média histórica para o mesmo período era é de 320 mm. Foi o dezembro mais chuvoso nos últimos 100 anos. A previsão é de que chova, pelo menos, até quinta-feira (5).

Imprimir
Comentários