Quase 9 mil candidatos desistiram de concorrer a uma vaga de perito criminal da Polícia Civil de Minas Gerais. Realizada ontem à tarde na PUC Coração Eucarístico, em Belo Horizonte, a prova que substituiu a do fim de maio, cancelada por erro de impressão, deixou de ser feita por 35% dos 24.987 inscritos e não escapou de polêmica. Concurseiros que chegaram minutos depois que os portões haviam sido fechados registraram boletim de ocorrência e pretendem entrar com recurso para que o teste anterior seja validado. O gabarito oficial será divulgado amanhã.

A Academia de Polícia Civil (Acadepol) suspeita que a alta taxa de desistência pode ter relação com boatos que circularam na internet de que manifestantes iriam para a porta da universidade tumultuar o concurso. Por causa da movimentação reduzida, o trânsito na região permaneceu tranquilo e os candidatos que anteciparam a ida não encontraram problemas para chegar.

Na visão de representantes da Acadepol, os candidatos tiveram tempo de sobra para chegar à universidade. Eles disseram que, se os atrasados tivessem seguido a recomendação do edital, que orienta chegar uma hora antes do início da prova, não haveria problemas.

Imprimir
Comentários