Da Redação

Desde segunda-feira (10), está sendo realizada na região uma operação conjunta entre agentes da Unidade Técnica do Ibama de Lavras e Polícia Militar de Meio Ambiente de Formiga para fiscalizar criações de pássaros com suspeitas de falsificação, duplicação e adulteração de anilhas e de registro de propriedade das aves, entre outras irregularidades.

Durante a ação, que recebeu o nome de “Operação Falsários”, 80 pássaros de espécies como tico-tico, pássaro preto, sanhaço, sabiá, azulão, cardeal, sofrê, corrupião, coleiro baiano, canário da terra, ticão entre outros,foram apreendidos e cerca de R$250 mil foram aplicados em multas.  O valor de mercado de algumas das espécies apreendidas pode chegar a R$10 mil.

Dois criadores de Formiga, dois da cidade de Arcos e um de Piumhi foram alvos da fiscalização que ocorreu a partir da análise de dados informados pelos próprios criadores ao Ibama e que levantaram suspeitas. “Dados a respeito de nascimentos, óbitos, fugas e transferências que aparentavam irregularidades, como um dos criadores que chegou a notificar mais de 100 fugas de pássaros, foram os indícios que levaram o serviço de inteligência do Ibama a desencadear a operação que está ocorrendo em todo o Estado”, informou o chefe da unidade técnica do Ibama de Lavras, Marcelo Ferreira Guimarães.

Apesar de registrados, os criadores cometiam uma série de irregularidades constatadas durante a operação. Muitos animais estavam com anilhas pertencentes a pássaros que já morreram, outros estavam com anilhas abertas ou com informações adulteradas. O Ibama ainda constatou a informação de falsos nascimentos e falsas fugas, além de registros duplicados de uma mesma ave. Algumas espécies estavam registradas em nomes de laranjas, normalmente parentes de criadores que já haviam sido multados por alguma irregularidade.

Após a apreensão, os criadores responderão por crime ambiental. Já os pássaros serão enviados para o Centro de Triagem do Ibama em Belo Horizonte, onde serão examinados por veterinários. “Os que tiverem condições de serem reinseridos na fauna serão, os demais terão suas anilhas trocadas e serão doados para criadores conservacionistas”, explicou Marcelo Ferreira Guimarães.

O registro adequado de cada pássaro, por meio de anilha, um tipo de anel colocado em um dos pés do animal, com informações do proprietário e da ave, é importante para o combate do tráfego de animais silvestres, uma vez que só é permitida a venda e criação de animais nascidos em cativeiro. Quem tiver informações sobre animais mantidos de forma irregular por criadores deve acionar as autoridades.

Parte da equipe empenhada na ação – Foto: Lorene Pedrosa

Todo o efetivo da Polícia Militar Ambiental de Formiga, comandada pelo sargento Andreotti, o chefe da unidade do Ibama de Lavras, Marcelo Ferreira Guimarães e os agentes ambientais Rodrigo e Alexandre desencadearam a ação na região.

– Foto: Lorene Pedrosa

– Foto: Lorene Pedrosa

– Foto: Lorene Pedrosa

– Foto: Lorene Pedrosa

– Foto: Lorene Pedrosa

– Foto: Lorene Pedrosa

IMPRIMIR