A eleição mais disputada da história da Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais (OAB-MG) nesse sábado (24) terminou com a vitória de Raimundo Cândido Júnior, de 67 anos, que obteve 35% dos votos válidos.

Sérgio Murilo Diniz Braga ficou em segundo lugar com 34,88% dos votos, cerca de 100 votos a menos que o candidato eleito. Sérgio Leonardo ficou na terceira posição, com 30,3% dos votos.

Cerca de 50 mil advogados mineiros compareceram às urnas para votar nas três chapas que disputaram a diretoria para o triênio 2019/2021. No interior, 312 chapas concorreram à direção nas subseções.

Este será o quinto mandato de Cândido Júnior a frente da organização. Ele também foi presidente nas gestões de 1993/1994, 1995/1997, 2004/2006 e 2007/2009.

O advogado é natural de Belo Horizonte e atua nas áreas de direito civil e processual civil. Ele formou-se pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 1974.

Também foram eleitos para a diretoria: Helena Delamonica (vice-presidente); Adriano Cardoso (secretário-geral); Valquíria Valadão (secretária-geral adjunta) e Alexandre Figueiredo Urbano (tesoureiro), Fabrício Souza Cruz Almeida (tesoureiro adjunto) e Marco Antônio Oliveira Freitas (diretor institucional).

O vice-presidente da OAB nacional e ex-presidente da seccional mineira, Luís Cláudio Chaves, assume a presidência da Caixa de Assistência dos Advogados. Já o atual presidente da OAB-MG, Antônio Fabrício Gonçalves, foi eleito titular no Conselho Federal.

Forte: O Tempo

print

Comentários