Emoção e entusiasmo marcaram a grande final do 42º Festival Nacional da Canção (Fenac), que no sábado (8), premiou a melhor canção com o troféu Lamartine Babo.
Milhares de pessoas tiveram a oportunidade de acompanhar as fases do evento que passaram pelas cidades por Extrema, Pouso Alegre, Varginha, Formiga, Guapé, e terminaram em Boa Esperança, no Sul de Minas, cidade berço do evento. Ao longo das etapas o Fenac distribuiu R$200 mil para os melhores intérpretes, compositores e instrumentistas.
Entre as 140 canções que passaram pelas etapas do Fenac, 30 participaram das semifinalistas realizadas nos dias 6 e 7 de setembro no Radium Clube Dorense, em Boa Esperança. O júri selecionou as 10 melhores, que se apresentaram no dia 8 de setembro, e a grande vencedora foi Quadro Invisível dos compositores Marcio Pazin e Carol Pereyr, de Chapecó, Santa Catarina. A interpretação realizada pelos dois conquistou os jurados e o público que pode participar da decisão pelo voto popular.
A segunda colocação ficou para Contenteza, composta por Alisson Menezes e Paulo Monarco, de Cuiabá (MT), a interpretação foi de Paulo Monarco e o terceiro lugar foi para a música Malfeito, de Ilha Solteira (SP), escrita por Rita Alteiro e Tavinho Limma, interpretada por Tavinho Lima.
O festival também entregou troféus para o quarto e quinto colocados, Maria de Ruthe Glória, São Paulo (SP), e Esse fogo chamado desejo composta por Ito Moreno também de São Paulo, Capital.
A canção, Trova do violeiro cansado, escrita por Beto Santo e apresentada por Davi Assunção recebeu o troféu de melhor interpretação. Já Menina composta por Manoel Gandra e Vytoria Rudan, e cantada por Junior Almeida ganhou o prêmio de música mais comunicativa.
Nas três noites do evento, após as apresentações musicais do Fenac, o público teve a oportunidade de assistir aos shows da Banda Lady Lux, Banda Santha Nova, Grupo Roda de Samba e Pereira da Viola.
Uma tenda especial foi montada na Praça Padre Júlio e cerca de seis mil pessoas assistiram a várias atividades culturais como teatro, dança, música clássica, instrumental e mágica, que se apresentaram durante o dia.
O 42º Fenac também premiou a aluno Samuel de Oliveira Silva, do 3º ano do Ensino Médio, do Colégio Padre Júlio Maria, que venceu o concurso literário Jovens Compositores, com a poesia Terra ?Gaia, mulher de Elíseos?.
Nesse ano o festival bateu o recorde de inscrições, foram 3.200 músicas de compositores de 24 estados diferentes. Realizado ininterruptamente desde 1971, antes com o nome Festival da Canção de Boa Esperança, o evento segue os moldes dos tradicionais festivais musicais das décadas de 70 e 80, com o principal objetivo de revelar e divulgar o talento e a criatividade da música popular brasileira.
O Fenac é apoiado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura, Lei Federal de Incentivo à Cultura e conta com o patrocínio de Cemig, Furnas, Petrobras e Correios. Mais informações www.festivalnacionaldacancao.com.br.

Imprimir
Comentários