Enquanto aguarda as definições da Federação Mineira de Futebol (FMF) e da CBF em relação à volta das competições, o Cruzeiro segue montando e lapidando o elenco para o restante da temporada. O principal objetivo do clube é voltar à Série A do Campeonato Brasileiro.

Entre a saída de jogadores, a contratação de reforços e o retorno de algumas promessas para a base, quase metade do time que foi relacionado pelo então técnico Adilson Batista para a estreia na temporada já não faz mais parte do elenco estrelado.

Dos 22 jogadores que estavam presentes na súmula, na vitória por 2 a 0  sobre o Boa Esporte, em 22 de janeiro, no Mineirão, pela primeira rodada do Estadual, dez já não compõem mais o elenco principal da Raposa.

Entre os que iniciaram jogando, deixaram a Toca II: o lateral-direito Edilson (rescindiu), o lateral-esquerdo Rafael Santos (emprestado à Chapecoense), o meia Rodriguinho (rescindiu e acertou com o Bahia) e o atacante Alexandre Jesus (retornou ao time sub-20). Acionado durante a partida, o zagueiro Edu foi negociado com o Athletico-PR.

Não foram acionados durante a partida e também deixaram o clube: o goleiro Rafael (rescindiu e foi para o Atlético), o lateral-direito Weverton (negociado com o Red Bull Bragantino), o lateral-esquerdo Matheus Pereira, o volante Guilherme Liberato e o atacante Caio Rosa. Os três últimos retornaram ao plantel do sub-20.

Início difícil

No início da temporada, a Raposa vivia uma grande turbulência em função do rebaixamento no Brasileirão, e o, então técnico, Adilson Batista teve dificuldades em formar uma equipe para iniciar o Campeonato Mineiro.

A saída de vários atletas, gerada principalmente pela reestruturação econômica que o clube implementou, e a incerteza sobre vários outros jogadores, que ainda não tinham definido o futuro na Raposa, fizeram com que Adilson mandasse a campo, na estreia do Mineiro, uma equipe repleta de atletas formados na base do clube e ainda pouco conhecidos da maioria dos torcedores.

Nos primeiros meses do ano, a diretoria estrelada, então sob a tutela do conselho gestor, definiu a saída de mais algumas peças e contratou reforços tentando dar cara nova ao elenco. O time apresentava poucas opções ao treinador.

Chegaram ao clube nos primeiros meses do ano os zagueiros Marllon e Ramon, o lateral-esquerdo João Lucas, o volante Filipe Machado, os meias Everton Felipe e Jhonata Robert e os atacantes Roberson e Marcelo Moreno.  Everton e Johnata, inclusive, já deixaram o Cruzeiro.

Mesmo com a chegada das novidades, a equipe seguiu apresentando um rendimento ruim nas partidas, e Adilson Batista não resistiu aos resultados ruins na Copa do Brasil e no Campeonato Mineiro – onde a Raposa atualmente está fora da zona de classificação para a semifinal – e foi demitido após a derrota por 1 a 0 para o Coimbra. A demissão aconteceu em 15 de março, no Independência, pela 9ª do Estadual.

O diretor de futebol, Ocimar Bolicenho, outro responsável pela montagem do elenco no início da temporada, também foi desligado do clube.

Era Enderson

Contratado três dias após o revés para o Coimbra, o técnico Enderson Moreira seguiu promovendo uma reformulação no elenco estrelado.

Já sob o comando de Enderson, e do presidente eleito, Sérgio Santos Rodrigues, o Cruzeiro definiu a saída dos experientes Robinho e Edilson, que rescindiram com a Raposa, o retorno de Caio Rosa (atacante), Alexandre Jesus (atacante), Valdir (lateral-direito) e Paulo (zagueiro) para o sub-20, e também foi ao mercado para tentar fortalecer o elenco.

Foram contratados, recentemente, e ainda não estrearam pela Raposa, o lateral-direito Raúl Carceres, o meia Régis e os atacantes Iván Ângulo e Guilherme. Eles se juntam ao experiente volante Henrique, que acertou retorno ao Cruzeiro no final de junho, após seis meses no Fluminense.

Os também volantes Jean, que participou apenas dos dois últimos jogos do time, e Ariel Cabral, apenas do último, assim como Ramon e Marllon, também encorpam o grupo comandado por Enderson Moreira.

O lateral-esquerdo Patrick Brey e o goleiro Lucas França, que estavam emprestados à Ferroviária -SP e ao Ceará respectivamente, também foram reintegrados e aparecem como opções para o treinador celeste. 

Os jovens Stênio, de 17 anos, e Riquelmo, um ano mais velho, foram alçados ao elenco principal por Enderson, e serão avaliados pelo comandante da Raposa para saberem se vão permanecer no grupo que vai disputar o Mineiro, a Copa do Brasil e a Série B.

Confira a ficha da estreia do Cruzeiro no ano:

CRUZEIRO 2 X 0 BOA ESPORTE

Motivo: 1ª rodada do Campeonato Mineiro

Data: 22 de janeiro de 2020

Local: Mineirão

Arbitragem: Ronei Cândido Alves, auxiliado por Guilherme Dias Camilo e Leonardo Henrique Pereira

Gols: Thiago aos 18 minutos do primeiro tempo e Welinton aos 41 minutos do segundo tempo para o Cruzeiro

Cartões amarelos: Edilson e Jadsom (Cruzeiro); Gledson e Da Silva (Boa Esporte)

Renda: R$ 149.718,00

Público Total: 9945

Público Pagante: 7774

CRUZEIRO
Fábio; Edilson, Léo, Cacá e Rafael Santos; Jadsom (Edu), Adriano, Maurício e Rodriguinho (Welinton); Alexandre Jesus e Thiago (Judivan)
Técnico: Adilson Batista

BOA ESPORTE
Renan Rocha; Chiquinho Alagoano, Wesley, Fernando Fonseca e Carlinhos; Caio César, Da Silva (Denis), Cesinha (Romário) e Gindre; Léo Goteira (Gledson) e Jefferson
Técnico: Nedo Xavier

Matéria do Hoje em Dia

Imprimir
Comentários