Tiago Cassimiro morreu no início do mês em um hospital de Luz, depois de ser atendido em Dores do Indaiá, município onde mora. Ele estava com vômitos, dores e diarreia. De acordo com o secretário de Saúde de Dores do Indaiá, Edmundo Luiz, não há confirmação para a morte por dengue, apesar das suspeitas.
Segundo Edmundo Luiz, ele tinha complicações respiratórias e bebia. Tiago Cassimiro chegou a ser internado em Dores do Indaiá em 28 de dezembro e pediu para sair do hospital devido a uma melhora. Ele foi para Luz e morreu.O secretário de Saúde de Dores do Indaiá aguarda a confirmação para a causa da morte para o final desse mês ou início de fevereiro. Conforme o secretário, foi cogitada a infecção por febre amarela.
Esse pode ser o segundo caso de morte por dengue hemorrágico registrado em Minas Gerais, sendo os dois casos suspeitos da região oeste do Estado. O outro caso de morte foi de uma ex-professora de Arcos, de 60 anos, que morreu na terça-feira (26).

print
Comentários