Remédios vencidos misturados com medicamentos que ainda estavam dentro do prazo de validade foram encontrados, na terça-feira (15) na Central de Abastecimento Farmacêutico de Divinópolis. O material só foi descoberto porque uma denúncia chegou à Comissão de Saúde da Câmara Municipal da cidade. A prefeitura justificou o caso alegando que o local era usado pelas farmácias do município, incluindo particulares, para o armazenamento de medicamentos que não poderiam estar mais nas prateleiras.
A resposta da administração pública não convenceu o vereador Edson de Souza (PDT), membro da Comissão de Saúde. Ele disse que a denúncia chegou à Câmara na terça pela manhã. ?Imediatamente viemos averiguar a situação. Mas a informação de que haveria a vistoria vazou e os funcionários da Central de Abastecimento tentaram esconder os remédios vencidos às pressas?, conta.
As mais de 60 mil caixas de medicamentos e 4 mil unidades de penicilina estavam guardadas na sala de arquivos da Central de Abastecimento Farmacêutico. Mas os rastros de que realmente os remédios foram mudados de lugar poucos minutos antes da chegada da Comissão de Saúde ficaram pelo chão: muitas sacolas pretas que envolviam o material e pedaços de caixa de papelão estavam espalhados. ?Se realmente não tivesse nenhum problema, não teria por que eles mudarem os medicamentos de lugar, como ocorreu?, diz o vereador.
Durante a vistoria, mais uma irregularidade foi detectada. Para evitar a deterioração dos remédios, as caixas com os medicamentos deveriam ser colocadas em cima de tablados de madeira, mas foram armazenadas no chão. Parte do material recebia luz do sol direta, o que não é recomendado. Edson de Souza afirma que o trabalho da comissão vai continuar e que a secretária de Saúde, Rosenilce Cherie Mourão, será chamada à Câmara para prestar esclarecimentos.
A Prefeitura de Divinópolis informou que as denúncias não tinham fundamento, uma vez que a Central de Abastecimento Farmacêutico é usada não apenas para a distribuição dos remédios, mas também como depósito para remédios vencidos oriundos, principalmente, de apreensões feitas pela Vigilância Sanitária do município em farmácias e drogarias da rede privada e que, periodicamente, o caminhão de lixo recolhe o material que é incinerado.
Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que ?possui estruturas físicas distintas para armazenamento de medicamentos vencidos e medicamentos aptos para distribuição à população, tendo total controle sobre a origem e o destino a ser dado a cada medicamento. Não existe, portanto, a possibilidade de medicamentos vencidos serem armazenados junto a produtos aptos para consumo?.

print
Comentários