O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros, vai apresentar pedido de convocação do ministro chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, sob alegação de que ele tentou coagir testemunhas da comissão.

O deputado federal Luiz Miranda e seu irmão, servidor do Ministério da Saúde, relataram que o presidente Bolsonaro foi alertado de irregularidade na compra da vacina Covaxin e nada fez. Em seguida, Onyx disse em entrevista coletiva que os dois serão investigados pela Polícia Federal a pedido do presidente da República.

Na sequência, Onyx disparou: “Deus está vendo. Mas o senhor não vai só se entender com Deus, vai se entender com a gente também. E vem mais. O senhor vai explicar e o senhor vai pagar pela irresponsabilidade, pelo mau-caratismo, pela má-fé, pela denunciação caluniosa e pela produção de provas falsas”.

Tanto Renan Calheiros quanto o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz, criticaram a fala em tom ameaçador do ministro de Bolsonaro.

“Nenhuma comissão parlamentar do mundo pode ficar exposta a coação de testemunha. É obstrução ao nosso dever de investigar. Vamos convocá-lo imediatamente e se reincidir vamos requisitar a prisão dele”, disse Calheiros, que ainda requisitou que a PF garanta a segurança de Luiz Miranda, do seu irmão e dos empresários da representante da Covaxin no Brasil.

Luiz Miranda e seu irmão vão depor na CPI da Covid nesta sexta-feira. Os dois afirmaram aos senadores que têm informações relevantes para acrescentar à investigação.

Fonte: O Tempo

print
Comentários