O senador Renan Calheiros (MDB-AL) rebateu as indiretas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado ter de investigar o filho do parlamentar, Renan Filho, governador de Alagoas. Bolsonaro não citou nome, mas disse que o colegiado deveria investigar “filho de senador”.

“Eu queria com a permissão dos senhores dizer, com todo respeito ao presidente, que o que mata é a pandemia pela inação e inépcia que eu torço que não seja dele, porque nós não queremos fulanizar isso aqui”, disse o Senador. “Com relação ao estado de Alagoas, ele não gaste o seu tempo ociosamente como tem gasto o seu tempo, enquanto brasileiros continuam morrendo. Aqui nessa CPI, se houver necessidade, todos sem exceção serão investigados”, disse.

Sem apresentar provas, Bolsonaro afirmou na live semanal dessa quinta-feira (6) que houve desvio de recursos em Alagoas. Sem citar o nome de Calheiros, Bolsonaro disse que suas frases “não matam ninguém” e que o que tira vidas é “desvio de recurso público, que seu estado desviou”, se referindo à Alagoas. O presidente também pediu que Renan Filho fosse investigado pela CPI.

“Sabe o que eu diria para o senador? Prezado senador, frase não mata ninguém. O que mata é desvio de recurso público, que seu estado desviou. Vamos investigar seu filho que a gente resolve o problema. Desvio mata. Frase não mata”, afirmou Bolsonaro.

Fonte: Itatiaia

print
Comentários