A Renault anunciou as saídas de Flavio Briatore, chefe da equipe, e de Pat Symonds, diretor de engenharia, poucos dias antes da reunião do Conselho Mundial de Esporte a Motor da Federação Internacional de Automobilismo (FIA). A equipe francesa foi acusada de armar o acidente de Nelsinho Piquet no GP de Cingapura de 2008 e será julgada em 21 de setembro.
De acordo com o comunicado oficial emitido na manhã desta quarta-feira(16), a Renault não vai contestar as acusações na reunião do Conselho Mundial. Pouco antes de perder a vaga na equipe francesa, Nelsinho Piquet disse à FIA que Briatore e Symonds pediram para ele causar um acidente na corrida, para forçar a entrada do safety car na pista. A batida na volta 14 foi planejada pelos três.
Com as saídas e, principalmente, com o anúncio de que não vai contestar as acusações, a Renault acaba por admitir, ainda que indiretamente, que a batida de Nelsinho Piquet em Cingapura foi armada nos bastidores. No entanto, a equipe não deixa claro, no comunicado, se Briatore e Symonds foram demitidos, optaram por sair ou houve algum tipo de acordo entre as partes.

print
Comentários