O ministro da Fazenda, Guido Mantega, admitiu nesta quinta-feira (8), que, diante da queda das receitas entre janeiro e agosto, a Receita Federal segurou restituições a serem pagas aos contribuintes que declararam o Imposto de Renda em 2009. No entanto, o ministro afirmou que o planejamento é normal e feito mês a mês.
Não existe uma regra rígida para a restituição do Imposto de Renda e o ritmo (de pagamento) é moldado pela disponibilidade de receita, disse.
O ministro culpou a crise financeira internacional pela lentidão nos desembolsos do fisco. Neste ano, que é um ano difícil, demorará mais, um pouco mais, para ocorrer (a restituição). Mas este planejamento é feito mês a mês. De janeiro a agosto houve frustração de receita. Mas se elas se recuperarem a partir de agora, aceleramos o pagamento de restituição, garantiu o ministro.
Segundo Mantega, o atraso pode se tornar uma boa aplicação porque o valor é corrigido. O contribuinte não perde nada porque recebe juros até a data de pagamento, avaliou.
O governo costuma pagar no mesmo ano todos os lotes de restituições de quem não caiu na malha fina, mas o ministro não respondeu sobre a possibilidade de alguns lotes ficarem para 2010.

Imprimir
Comentários