Três pessoas morreram e duas estão desaparecidas depois da tempestade da noite dessa quarta-feira (6) na região metropolitana do Rio de Janeiro. A forte chuva acompanhada de ventania causou apagões, derrubou árvores, alagou vias e fechou a avenida Niemeyer, onde um trecho da ciclovia desabou.

Um ônibus está soterrado na avenida Niemeyer, e há a suspeita de que dois passageiros estejam feridos dentro. O motorista do ônibus conseguiu sair e teve escoriações. Houve quedas de barreira em vários pontos – a ciclovia caiu perto de São Conrado, e o ônibus foi atingido quase no extremo oposto.

Bombeiros cortam árvore para tentar retirar ônibus atingido na Avenida Niemeyer, (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)

O prefeito Marcelo Crivella confirmou que a situação mais crítica é na Niemeyer. “Vai demorar mais de um dia inteiro para normalizar”, disse.

Resumo

  • A tormenta começou por volta das 20h30, quando o Rio entrou em estágio de atenção;
  • Às 22h15, passou-se para o estágio de crise;
  • Três mortes: duas em Barra de Guaratibae uma na Rocinha;
  • Há suspeita de que duas pessoas estão desaparecidasna avenida Niemeyer. Na avenida, um novo trecho da ciclovia desabou com deslizamento de terra. A via está interditada;
  • Ciclovia Tim Maia foi atingida por deslizamento de terra (Foto: Reprodução/TV Globo)

     

  • Às 3h, eram 64 árvores caídas; algumas derrubaram a fiação e causaram apagões;
  • Registraram-se rajadas de 110 km/h no Forte de Copacabana, o que caracteriza tempestade violenta;
  • Chove fraco na manhã desta quinta-feira (7), e há pontos de alagamento na Barra e na Zona Sul;
  • Crivella decretou luto oficial de três diaspelas mortes;

 

Previsão para esta quinta

As chances de tempestade aumentam na parte da tarde desta quinta-feira, por causa de áreas de instabilidade associadas a um sistema de baixa pressão.

Por causa do solo encharcado, as chances de novos deslizamentos aumentam na Costa Verde e na Região Metropolitana. Além disso, pode haver novos pontos de alagamento.

A temperatura máxima prevista é de 28°C na Região Metropolitana. O mar continua agitado, com ondas de pelo menos um metro.

 Trânsito e transportes

A Avenida Niemeyer é uma das opções de ligação entre bairros da Zona Oeste, como a Barra, e a Zona Sul. Pelas manhãs, a avenida opera em mão única para a Zona Sul, como parte do corredor de reversíveis da orla, em direção ao Centro.

Avenida Niemeyer (Foto: Nathalia Castro/TV Globo)

  • Avenida Niemeyer está interditada. Com isso, a Autoestrada Lagoa-Barra sobrecarregou. Opções:Alto da Boa Vista ou a Linha Amarela, que têm fluxo intenso.
  • Os aeroportos Santos Dumont e Tom Jobim operam normalmente.
  • A circulação das três linhas do metrô e dos bondes do VLT no Centro está normalnesta manhã.
  • O BRTchegou a interromper as atividades às 21h25, mas no fim da noite voltou a operar com intervalos irregulares.
  • A SuperVia tem intervalos normais, assim como as Barcas.
  • O Alto da Boa Vista, o Túnel Zuzu Angel e a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguájá foram liberados, após interdição em todas as vias por quedas de árvores. A praça Santos Dumont, na Gávea, está bloqueada por bolsão d’água.

    Árvore caída puxou a fiação na Rua Viúva Lacerda, no Humaitá (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

 

Morte em Guaratiba

Mauro e Isabel morreram em deslizamento em Guaratiba; Aureo e Arthur saíram feridos (Fotos: Redes sociais)

 Mãe e filho morreram quando a casa da família desabou em Barra de Guaratiba, no fim da noite dessa quarta. Isabel Martins da Paes, 56, e Mauro Ribeiro da Paes, 32, foram soterrados quando a lama desceu pela encosta onde o imóvel fica, na Estrada da Vendinha.

Aureo da Paes, marido de Isabel, e Arthur Ribeiro da Paes, irmão de Mauro, ficaram feridos.

Falta de luz

Segundo a Light, há falta de energia principalmente em trechos da Zona Oeste, como Jacarepaguá, Barra da Tijuca, Recreio e Campo Grande, e na Zona Norte, como na Tijuca, Méier e Grajaú.

Segundo a concessionária, ventos muito fortes provocam queda de objetos sobre a rede, galhos de árvores e árvores inteiras, dificultando os reparos.

Postes caídos na Chácara do Céu (Foto: Ricardo Abreu/GloboNews)

“A Light aumentou em cerca de 40% o número de pessoas em campo, chegando a mais de 2 mil profissionais preparados para todo tipo de atendimento”, informou em nota a companhia, sem dar prazo para o restabelecimento dos serviços.

Imprimir

Fonte:

G1