O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), confirmou oficialmente que irá se filiar ao PSD.

 Por meio do Twitter, em mensagens publicadas na manhã desta sexta-feira (22), ele afirmou que a decisão foi tomada a convite do presidente do partido, o ex-ministro Gilberto Kassab. Pacheco também agradeceu ao Democratas, sigla que o abriga desde 2018.

“Comunico que, nesta data, tomei a decisão de me filiar ao PSD, a convite de seu presidente, Gilberto Kassab. Agradeço aos filiados, colegas e amigos do Democratas de Minas Gerais e de todo o país o período de convivência partidária saudável e respeitosa”, destacou.

Outro agradecimento foi dirigido ao presidente nacional do Democratas, o ex-prefeito de Salvador (BA) ACM Neto. “Meus agradecimentos especiais ao presidente ACM Neto pela atenção a mim sempre dispensada e manifesto meus votos de sucesso ao recém-criado União Brasil, na pessoa de seu presidente, deputado Luciano Bivar”, finalizou, citando o novo partido criado pela fusão do DEM com o PSL.

Apesar de ainda não admitir publicamente, umas das intenções da troca de partido é o lançamento da candidatura de Pacheco ao Palácio do Planalto. O senador pretende disputar como um nome da terceira via, na tentativa de quebrar a concentração de votos entre o presidente Jair Bolsonaro e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições de 2022.

A filiação de Pacheco ao PSD está marcada para a próxima quarta-feira (27). A cerimônia vai ser realizada em Brasília, provavelmente no Memorial JK, museu em homenagem ao ex-presidente Juscelino Kubitschek, o último mineiro a ser eleito Presidente da República.

Com a filiação de Pacheco, o PSD passa a ter agora as três cadeiras mineiras no Senado Federal. Os senadores Antonio Anastasia e Carlos Viana também são do partido comandado por Kassab.

Fonte: O Tempo

print
Comentários