Casos envolvendo pessoas já vacinadas contra a Covid-19, mas que não estavam nos grupos prioritários, têm sido relatados Brasil afora. A responsabilidade pela aplicação das doses é das Prefeituras, mas o cidadão também pode ajudar com denúncias. Nessa sexta-feira (22), a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) reforçou o alerta.

“Tem uma questão de ética e moral. Quando o Ministério da Saúde sinaliza um grupo, os estados e municípios devem segui-lo. O SUS tem canais de ouvidoria e nós vamos acompanhar isso”, afirmou o secretário Carlos Eduardo Amaral.

O público-alvo, nessa primeira etapa de imunização, é formado principalmente por profissionais da saúde, que estão na linha de frente de combate à pandemia. Para saber quando toda a população deverá ser protegida contra o novo coronavírus.

Denúncias

As denúncias de imunização de pessoas não pertencentes aos grupos prioritários devem ser feitas nos seguintes canais:

Ouvidoria-Geral do Estado de Minas Gerais
Ministério Público do Estado de Minas Gerais
Ouvidoria do Ministério da Saúde

A subsecretária de Vigilância em Saúde, Janaína Passos, reforçou que as gestões municipais devem ficar atentas. “Temos que priorizar os grupos que estão definidos, justamente por questões epidemiológicas, para evitar surtos. E, posteriormente, as demais prioridades são vacinadas, seguindo a ordem, como a população idosa, acima de 75 anos, que não foi excluída, só foi alocada na fase seguinte”, comentou.

Fonte: Hoje em Dia

Imprimir
Comentários