A Santa Casa de Formiga se pronunciou nesta sexta-feira (4) sobre a denúncia do Conselho Municipal de Saúde sobre um desvio de quase R$ 2,5 milhões da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto, em Divinópolis. Por meio de nota, a instituição confirmou que foram feitos depósitos na conta dela, mas que não se trata de um desvio, mas do custeio do contrato de rateio.

A assessoria de comunicação da Santa Casa explicou na nota que, em 2014, a instituição participou de uma licitação para realizar a administração da UPA de Divinópolis e venceu com o valor de R$ 1.599.000,00 ao mês.

Ainda segundo explicou a assessoria, neste valor, além de despesas com pagamento de funcionários, fornecedores e a manutenção de forma geral do serviço, está incluído também a despesa de rateio da Santa Casa.

A unidade informou ainda que há 12 meses, a instituição não recebia esses valores.

A denúncia foi apresentada durante sessão da Câmara Municipal de quinta-feira (3). O presidente do conselho, Warlon Carlos Elias, apresentou um documento aos vereadores onde há mais de 70 transferências que teriam saído da UPA de Divinópolis entre janeiro de 2016 e dezembro de 2017, para a Santa Casa.

A Prefeitura de Divinópolis informou em nota nessa quinta-feira, que a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) não vai se manifestar sobre o assunto, uma vez que a UPA Padre Roberto está sob investigação por parte de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara e do Ministério Público Estadual (MPE).

 

Fonte: G1||

Imprimir

Comentários