Por Paulo Coelho – redação Últimas Notícias

A Santa Casa de Caridade de Formiga deixará de gerir a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto Cordeiro Martins, em Divinópolis. A Santa Casa esteve à frente da administração da UPA desde o dia 29 de setembro de 2014 e, segundo informou o superintendente José Geraldo Pereira, no local foram implementadas várias medidas saneadoras, objetivando que aquela unidade de saúde viesse a prestar um serviço de maior eficiência e melhor qualidade aos usuários. Foi preciso adequar a casa às normas então vigentes e  impostas pelos órgãos  que no país regulam o serviço de saúde.

A licitação para escolha do novo gestor ocorreu conforme previsto no edital de Concorrência Pública 001/2019, com o objetivo de contratar uma entidade de Direito Privado sem fins lucrativos para administrar a Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto, UPA Divinópolis.

O superintendente da UPA José Geraldo Pereira (Foto: Divulgação)

De acordo com Geraldo, no dia 29 deste mês, a partir das 23h59, os novos administradores deverão assumir a direção da unidade de saúde e garante que eles a receberão em condições bem melhores que aquelas encontradas pela Santa Casa de Formiga quando ali chegou.

Hoje, disse Geraldo, “existe um estoque de medicamentos e insumos que garantem mais tranquilidade para que a unidade de saúde atenda os pacientes. Estoque este capaz de suportar o consumo por 30 a 45 dias. Entretanto, para se ter uma ideia é preciso considerar que 70% dos atendimentos se dão em função de pacientes encaminhados pelas diversas UPAs, o que explica a lotação aqui verificada, praticamente todo dia. Assim sendo, permanecemos com uma média de 60 pacientes, até mesmo nos corredores, sempre aguardando leitos hospitalares, muitas vezes por 20 ou até 40 dias, sendo que alguns destes, até entubados. Isto mostra que apesar de todo o nosso esforço, ainda há algo que precisa ser ajustado para melhorarmos o atendimento à saúde pública no município. a disponibilização de leitos hospitalares é muito precária”, explicou.

Geraldo Pereira afirmou ainda que todos os trâmites burocráticos para a dispensa do pessoal de apoio e dos médicos contratados está em andamento  (rescisão, baixa em carteira) e que ele espera que o depósito por parte da Prefeitura (algo em torno de R$2,8 milhões)  ocorra em tempo hábil, conforme previsto em contrato.

O que diz a Santa Casa:

Em entrevista, o assessor jurídico da Sana Casa, Antônio Monteiro informou ao Últimas Notícias que cerca de 204 funcionários e 22 médicos que hoje compõem o quadro da UPA Padre Roberto, serão sim,  dispensados no dia 29 deste mês. 

O assessor jurídico da Santa Casa, Antônio Monteiro (Foto: divulgação Câmara)

Ele revelou que os valores relativos à multa sobre FGTS, férias proporcionais e 13º proporcional e outros valores que normalmente são devidos por ocasião das rescisões, algo em torno de R$3 milhões, conforme consta do contrato celebrado entre o município de Divinópolis e a Santa Casa de Formiga, deverão ser depositados pelo município.

Em resposta a um questionamento do UN, Antônio Monteiro disse que “não houve o costumeiro provisionamento para o cumprimento destas obrigações e que outras questões de ordem financeira relativas ao descumprimento de contrato, estas já estão ajuizadas, e que oportunamente nos informará a respeito”.

print
Comentários