Em agosto deste ano, a enfermeira Vanessa Simões Ferreira e a assistente social Ana Paula Faria Monteiro, que fazem parte da Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes ? CIHDOTT da Santa Casa de Formiga estiveram em Belo Horizonte no ?MG Transplantes? da Secretaria de Estado da Saúde para conhecer as formas corretas de abordagem da família de possíveis doadores e como melhor estruturar o trabalho da Comissão na cidade.
A Santa Casa está se credenciando e estruturando para iniciar sua integração ao Sistema Estadual de Referência Hospitalar e à Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos – CNCDO e estará, dentro de mais ou menos sessenta dias, trabalhando inicialmente com a captação de córneas.
É importante salientar que por trás de cada transplante realizado em hospitais, um grupo de profissionais trabalha para garantir a agilidade no fluxo de doação.Esses profissionais integram a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante que, por meio da portaria GM/MS nº 1752, de 23 de setembro de 2005 e outras do Ministério da Saúde, tornou obrigatória sua implantação e estruturação nos hospitais do país com mais de 80 leitos.
Para fazer parte da Comissão, a equipe é submetida a uma formação anual em coordenação intra-hospitalar de transplante, oferecida pelo Ministério da Saúde e pela Central Estadual de Captação. A exigência da criação da CIHDOTT em hospitais explica-se pela importância do seu desempenho para aumentar a captação de órgãos e tecidos.
Na Santa Casa, a abordagem da família e a avaliação quanto à aptidão do paciente falecido para doação, será realizada pela Comissão em cada óbito ocorrido no hospital, avaliando as condições do paciente. Caso seja concedida a doação, o MG Transplantes é comunicado e o processo executado.
Integram a CIHDOTT da Santa Casa de Caridade de Formiga o médico oftalmologista Dr. Marcelo Lemos Marques, os enfermeiros Vanessa Simões e Edvaldo Machado, a assistente social Ana Paula Faria Monteiro e a técnica de enfermagem Tatiane Paula Macedo. Também deverão contribuir para o bom funcionamento da Comissão, toda a equipe multiprofissional do hospital que irá liberar o laudo do atestado de óbito e o impresso oficial de consentimento da família, agilizando o processo de doação e o transplante. A Santa casa de Formiga estará assim contribuindo com a diminuição das filas de espera em nosso país.

print
Comentários