A queda da inflação no Brasil e o enfraquecimento do real diante do dólar levaram São Paulo e Rio de Janeiro a cair várias posições no ranking de cidades mais caras do mundo, aponta relatório da Economist Intelligence Unit, o braço de análises e pesquisas da revista The Economist.

O ranking comparou preços em 133 cidades do mundo e concluiu que as três cidades mais caras – empatadas no primeiro lugar – são Paris, Hong Kong e Cingapura.

São Paulo e Rio de Janeiro, que em 2017 foram as cidades que mais encareceram no ranking – subindo 29 e 27 posições respectivamente – ficaram, desta vez, entre as dez onde os preços mais caíram os últimos 12 meses.

Para São Paulo, a queda foi de 30 posições em relação à edição passada, ficando no 107º lugar entre as 133 cidades. Já o Rio de Janeiro, que aparece logo em seguida, recuou 26 posições. Apenas Istambul, na Turquia, e Buenos Aires, na Argentina, tiveram quedas mais expressivas.

A pesquisa compara o custo de itens básicos, como alimentos e bebidas, nas cidades. Também monitora se os preços subiram ou caíram comparando-os com o custo de vida em Nova York, que é usado como referência.

‘Quedas acentuadas’

De acordo com o relatório, a queda acentuada no custo de vida em países como Brasil, Argentina e Turquia é associada às desvalorizações das moedas locais, por sua vez causada por “turbulências econômicas”.

 

Fonte: BBC News ||

Imprimir

Comentários