A Secretaria de Estado de Saúde (SES) confirmou nesta terça-feira (23), durante coletiva em Belo Horizonte, 17 novos casos de Influenza A H1N1 (Gripe Suína) no Estado. Destes, 12 são provenientes de uma escola particular da capital.
Segundo o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Felipe Caram, o momento não é de pânico, mas sim de vigilância. Ele também ressaltou que é fundamental que as pessoas adotem todas as medidas profiláticas (lavar as mãos, evitar locais fechados) para combater o contágio. ?O vírus da Influenza A, embora tenha baixa letalidade, de 0,4%, tem alta transmissibilidade, entre 25% a 27%?, disse.
O secretário municipal de Saúde de Belo Horizonte, Marcelo Teixeira, afirmou que a decisão de suspender as aulas e adiantar o período de férias foi tomada juntamente com o colégio, a partir do momento que foram confirmados os casos. ?Já estamos mapeando todos que tiveram contato com esses alunos e monitorando os familiares dessas pessoas. Um aspecto peculiar do vírus é que o período de transmissão é alto, sete dias em adultos e 14 em crianças. A criança que foi infectada pelo vírus na Argentina, por exemplo, estava assintomática e mesmo assim transmitiu o vírus?, completou.
Já o superintendente de Epidemiologia, Francisco Lemos, apontou que em Minas Gerais é vivenciada uma situação atípica, pois apesar de terem sido confirmados novos casos, todos os autóctones (transmitidos dentro do Estado) são conhecidos, estão sendo monitorados e os pacientes estão estáveis. Além disso, essa transmissão na escola se deu em decorrência da proximidade entre os estudantes e por ser um local fechado.
O subsecretário Luiz Felipe Caram afirmou que o Estado tem sido um exemplo para todo o país no que se refere ao monitoramento, às ações de vigilância e de assistência hospitalar. ?Alguns dos instrumentos disponibilizados pela SES para esclarecer à população são o serviço de call center, o 0800 e a assistência ambulatorial. Qualquer pessoa que apresentar algum sintoma ou tiver dúvidas, deve entrar em contato 0800-283-2285?, reforçou.
Plano Estadual
O Plano Estadual de Enfrentamento da Influenza A está estabelecido em três níveis de enfrentamento da ameaça de uma pandemia, de acordo com a situação epidemiológica de circulação do vírus Influenza A (H1N1). O primeiro descreve os procedimentos em momentos sem nenhum caso autóctone (transmissão acontece no local sem relato de viagem); o segundo, para momentos com presença de caso autóctone; e, por último, procedimentos para uma situação de epidemia.
Em Minas já foram confirmados 42 casos, sendo 19 autóctones, 47 são suspeitos e 92 foram descartados.

print
Comentários