Minas tem 306 museus – de um total de 384 em funcionamento na capital e no interior – sem Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), conforme diagnóstico elaborado pela corporação e divulgado nesta sexta.

Segundo o chefe da Divisão de Pesquisa da Diretoria de Atividades Técnicas do CB, major Paulo Mesquita, o trabalho mostrou que há situações de “alto e baixo risco”, embora sem necessidade de fechar até hoje algum dos equipamentos culturais. Para garantir segurança aos visitantes, funcionários e acervo, bem como evitar uma tragédia semelhante à ocorrida no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro, há quase 11 meses, a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) lançou, ontem, edital setorial do Fundo Estadual de Cultura (FEC). No início, está reservado o valor de R$ 1,5 milhão para unidades vinculadas às prefeituras.

Dividido em duas categorias, o edital Museu Seguro vai investir R$ 3,5 milhões na elaboração e implementação de projetos de segurança contra incêndio e pânico e também em programas de Segurança de Plano Museológico. O objetivo, segundo o titular da Secult, secretário Marcelo Matte, “é tornar os equipamentos mais protegidos, garantindo a fruição do público e assegurando a preservação de seus acervos” A Dividido em duas categorias, o edital Museu Seguro vai investir R$ 3,5 milhões na elaboração e implementação de projetos de segurança contra incêndio e pânico e também em programas de Segurança de Plano Museológico. O objetivo, segundo o titular da Secult, secretário Marcelo Matte, “é tornar os equipamentos mais protegidos, garantindo a fruição do público e assegurando a preservação de seus acervos”.

A primeira parte do edital Museu Seguro, destinado às prefeituras, está disponível no site www.cultura.mg.gov.br e os interessados podem consultar os termos do documento até o dia 31. As inscrições estarão disponíveis de 1º de agosto a 15 de setembro na Plataforma Digital Fomento e Incentivo à Cultura, que pode ser acessada em: https://tinyurl.com/plataformadigital. A segunda parte do programa, que contemplará a sociedade civil, será lançada no próximo mês. O pacote faz parte de um total de R$ 7 milhões reservados para o setor cultural.

Matte explicou que a situação dos museus mineiros tirava seu sono, desde que assumiu a pasta no atual governo. “Fiquei muito preocupado com a segurança a partir do diagnóstico dos bombeiros sobre a precariedade (dos equipamentos). Minas tem o maior conjunto de bens tombados do Brasil, daí a necessidade da prevenção. Trata-se do primeiro edital em Minas e é inédito no país”. Ele anunciou também “boas notícias” para a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, garantindo que todas as pendências financeiras estão resolvidas; para a Rádio Inconfidência, com a suspensão do fechamento da faixa AM; a chegada, dentro de dois a três dias a BH de documentos do Arquivo Público Mineiro roubados há dois anos; a regularização de pagamento de uma parcela de R$ 750 mil a 15 projetos culturais, de um valor total de R$ 2,5 milhões.

Imprimir

Fonte:

Estado de Minas