O secretário de Gestão Ambiental, Paulo Coelho, fez uso da ?Tribuna do Povo? na Câmara Municipal, nesta segunda-feira (26), para falar sobre a construção da segunda célula no Aterro Sanitário de Formiga. Na semana passada, o Legislativo repassou à Prefeitura R$250 mil para a construção da célula.
Paulo Coelho agradeceu ao Legislativo pelo repasse. ?A Câmara prontamente atendeu a uma solicitação nossa e posso dizer que essa ajuda é imprescindível. Os senhores aprovaram uma antecipação de recursos para o município para o atendimento de necessidades do Aterro Sanitário?.
De acordo com o secretário, o aterro teve sua ?vida? prolongada por mais seis meses. ?Tomamos algumas medidas como a reciclagem. Essa primeira célula deveria durar 3 anos e já estamos atendendo a cidade por 3 anos e 4 meses e meio e deve se esgotar agora em dezembro?, explicou.
Paulo Coelho disse que a segunda célula já deveria estar pronta para a próxima gestão continuar trabalhando normalmente no aterro. ?Sempre ostentamos que o aterro é o melhor de Minas e é mesmo e ele deve continuar com esse padrão de qualidade. Acredito que dentre 5 ou 6 anos, talvez, não precisemos mais de Aterro Sanitário. O lixo hoje é tratado de outras formas, transformado em energia, e aqui também vai acontecer isso?.
Ainda de acordo com o secretário, a administração conseguiu recursos para fazer a terraplanagem. ?Essa terraplanagem precisa ser feita. Outra questão é a parte da lona. Precisamos deixar a situação mais ou menos equilibrada para o próximo prefeito. Tenho nas mãos uma carta do pessoal da Prefeitura informando de que não há tempo mais para fazer uma licitação. Fui ao Ministério Público e mostrei para o promotor a situação que me autorizou a fazer esta segunda etapa com dispensa de licitação. Ele entendeu a necessidade e estou providenciando isso hoje. Não quer dizer que vamos conseguir fazer isso tudo até o dia 31 de dezembro. Tenho um plano B, que deve durar uns 25 dias sem prejudicar o meio ambiente?, destacou.
Segundo o secretário, existe um trâmite complicado dentro do município para fazer obras. ?Em janeiro deste ano, o prefeito Aluísio Veloso firmou o compromisso de manter o aterro com essa qualidade. Em junho, começamos a fazer as tentativas de obter recursos do município e por alguns problemas, não da secretaria de Gestão Ambiental, não foi possível que o município alocasse os recursos para tomarmos as providências?.
?Não podemos ficar dependendo de verbas de deputados. A taxa de coleta de lixo, conforme a lei prevê, tem que ser auto-sustentável. Aqui em Formiga, o cidadão paga menos de 80 centavos para todo o trabalho na secretaria?, destacou o secretário.
Segundo explicou Paulo Coelho, é preciso que a Câmara ajude a Prefeitura por meio da aprovação de um projeto que aumente a taxa de coleta de lixo e, com isso, a geração de recursos. ?Em 2009, já era preciso que o município recolhesse R$2.400 milhões por ano, o que daria aproximadamente R$3,40 por habitante. Isso é preciso para dar um suporte mais à frente?, concluiu.

Imprimir
Comentários