O grande sonho da Comunidade Escolar de Formiga sempre foi o de sediar aqui, uma Superintendência Regional Estadual de Ensino-SER. Isso evitaria o deslocamento do professorado até Passos, distante 150 km, onde atualmente se localiza a superintendência.
Também é aqui em Formiga que existe a maior rede escolar de ensino da SER-Passos/MG, abrigando o maior número de alunos, professores e servidores, além do ensino praticado ser considerado como a melhor referência dentro das cidades que constituem a Superintendência Regional. Mas aquele velho sonho, tudo indica, mais uma vez, foi sepultado!
No final de 2014, o SIND-UTE/MG, negociou com a Equipe de Transição o que ficou compromissado com o ainda candidato, agora governador, Fernando Pimentel, quando se estabeleceu que a escolha dos novos superintendentes em todo o Estado seria feita por meio de Eleição Direta, num processo livre, transparente e democrático, o que viria a abolir o loteamento de cargos que até então vigorara num processo político ultrapassado, mantido pelos governos anteriores.
Em 20 de dezembro de 2014, a Superintendência Regional de Ensino de Passos, constituída por cerca de 400 servidores do ensino da Rede Estadual se mobilizou e realizou num processo democrático, a Plenária Regional, quando cinco pessoas se candidataram para a disputa. A vencedora foi a formiguense, Aparecida de Sá Silva, com 122 votos, cerca de 30 votos à frente da segunda colocada.

As nomeações:

Tão logo terminou o processo de eleição dos superintendentes, o governo mineiro foi nomeando todos, um a um, conforme publicações, menos o de Passos, que ficou por último, acredita-se que em razão da pressão política que a cidade de Passos exerceu sobre a Secretaria de Governo.
Diversas articulações políticas foram feitas junto da Secretaria de Governo e na Secretaria de Educação, com a Sra. Macaé Evaristo, no SINDE-UT/MG, mesmo antes das nomeações.

Políticos locais e outras lideranças estranharam que o secretário de Governo, Odair Cunha/PT, não tenha dado atenção para o povo de Formiga. Alguns garantiram que ele sequer atendia ao telefone e suas secretárias também não davam retorno às ligações. Também as tentativas de agendar reuniões com ele foram frustradas, garantiram representantes do professorado que tentaram com ele discutir o assunto.
Como resultado da pressão, Aparecida de Sá não foi nomeada, mesmo tendo sido classificada em primeiro lugar e, acabou nomeado para o cargo o Sr. Ricardo Medeiros, da cidade de Passos, segundo colocado na eleição.

?Foi uma punhalada pelas costas no povo de Formiga, não mereceríamos isto, já que no passado não tínhamos acesso porque o governo era contrário, e agora o governo é a favor?, comentou um importante político desta região que chegou a afirmar que o vínculo de Odair Cunha com Passos, onde foi mais votado do que em Formiga, é tão maior que lá, ele está até desenvolvendo esforços para a criação de uma Faculdade de Medicina naquela cidade. E completou: ?na ultima eleição, ele veio aqui, pedir apoio para a candidata Geise Teixeira de Varginha e o PT local resolveu lançar o Marquinhos do PT, mas ainda assim, nosso candidato fez dobradinha com ele (Odair)?.
Mostrando indignação, prosseguiu: ?Era sonho de Formiga ter aqui uma Delegacia. Já que não conseguimos isto, muito nos contentaria ter uma formiguense como superintendente, uma servidora competente como é a Cidinha de Sá, mas nem isto nos foi permitido. Acho que o secretário Odair Cunha – PT, não foi correto com o processo democrático de eleição da Superintendente e tão pouco grato ao povo de Formiga, que o conhece desde seus tempos de pregações nos encontros da Renovação Carismática Católica ? RCC, a votação que obteve na sua primeira e nas outras eleições e o grau de amizade que tem com os petistas de Formiga, ao que se sabe era grande. Resultado: fomos passados para traz justamente por um político cristão, que tem o dever de defender a causa justa e a democracia. Ficamos a chupar o dedo mais uma vez, nadamos e morremos na praia, ou melhor, levamos chute no traseiro?, concluiu.

O que diz Cidinha:
?O governo petista descumpriu o que fora acordado anteriormente com o SINDIUTI quando se estabeleceu que os cargos nas superintendências do Estado seriam ocupados por profissionais escolhidos pela categoria, democraticamente, através de eleição direta a ser processada em assembleia da classe. Acredito que isto ainda poderá ser revisto?.
O que diz o presidente do PT em Formiga:

O ex-prefeito da vizinha Pains, Ronaldo Gonçalves, atual presidente do PT Formiga, indagado à respeito do descumprimento da promessa feita pelo governador em acordo com o Sindicato, assim se expressou: ?O PT local, não foi acionado à época deste acordo e nem mesmo quando se realizou a assembleia que elegeu a Cidinha. Só agora, depois do leite derramado, fomos procurados. Atendendo pedido do Aluísio Veloso e procurando defender a escolha de uma formiguense, encaminhei carta ao governador, pedindo sua interferência no caso. Acredito que se ele,(governador), fez compromisso com o Sindicato, certamente irá cumpri-lo. Quem manda é ele e, portanto, é o único capaz de reverter esta situação que você diz, já está estabelecida mediante a publicação oficial?.

O que diz Marquinho do PT
Tão logo tomou conhecimento do fato, em companhia do presidente do PT local, e de Joyce Alvarenga (ex-candidata a prefeita), Marquinho do PT, por três vezes procurou o secretário de Governo Odair Cunha em seu Gabinete, solicitando o empenho para resolver a situação que para ele (Marquinho), é constrangedora. ?Eu acredito que se houve promessas do Governador, ela tem que ser cumprida e sou de opinião que a escolha livre e democrática para ocupar este e outros cargos de confiança é o melhor caminho?.

Educadores se manifestam contra nomeação

Os diretores das escolas estaduais de Formiga e o secretário de Educação, Geraldo Reginaldo se reuniram na segunda-feira (16) para manifestarem indignação quanto a desconsideração do resultado da Assembleia realizada pela Sub-sede do SindUTE/MG visando a democratização do processo de indicação do diretor da SER de Passos.
Os educadores de Formiga contam com o apoio e adesão de seus representantes políticos no sentido de se mobilizarem na busca da reversão da referida nomeação.

Recordando:

Inúmeras articulações políticas neste sentido ? criação de uma SRT local ? ocorreram no passado, e dentre estas, destaca-se:
1 – Quando Francelino Pereira foi governador, ele chegou até a criar a Superintendência de Formiga. À época, chamava-se Delegacia de Ensino, tendo sido publicado o ato, no Diário Oficial de Minas Gerais. Todo o professorado e pessoal ligado à rede de ensino ficou empolgado. Mas, a força política foi fraca e a Delegacia acabou não sendo instalada. Como Campo Belo se mostrou mais forte politicamente, acabou levando a Delegacia de Ensino para lá.
2 ? Mais recentemente, o Governo Municipal do PT desenvolveu esforços neste sentido e com o apoio do Deputado Dr. Viana, então presidente da Assembleia Legislativa, o assunto voltou à baila. Porém como o governo municipal era de oposição ao Governo Estadual, não se obteve êxito, apesar do Governador haver se compromissado com o Prefeito Petista a dar a Formiga uma Delegacia. O compromisso não foi cumprido e ele, apesar de haver criado 9 novas superintendências, mais uma vez, Formiga ficou de fora.

3 ? Posteriormente, o vereador Mauro César, então líder do PMDB, em companhia dos demais vereadores do partido (Moacir e Meirinha), munido de abaixo assinado subscrito por diretores das escolas estaduais deste município, negociou com o deputado federal, Antônio Andrade e marcou-se audiência com a secretaria de Estado de Educação quando reforçaram o pedido de criação da superintendência de ensino na cidade de Formiga. Na impossibilidade de atendimento deste pleito, que fosse o professorado do município atendido pela Superintendência de Campo Belo, em razão da maior facilidade de deslocamento, por ser aquela cidade mais próxima e haver maior número de viagens de ônibus disponíveis entre Formiga e a vizinha cidade.
Porém, esta alternativa também não se viabilizou já que com a interveniência da ex-superintendente de ensino de então, Lázara Idalina, alguns diretores voltaram atrás no pleito e se decidiram pela permanência do atendimento em Passos.

Imprimir
Comentários