Seis brasileiros foram encontrados mortos na quarta-feira (22) em um apartamento na área central de Santiago, capital do Chile.

As vítimas são uma família de quatro pessoas da cidade de Biguaçu, na Grande Florianópolis e um casal que morava no interior de São Paulo.

Cinco das vítimas eram catarinenses e uma, goiana. A polícia ainda não confirmou oficialmente os nomes.

Família morreu em apartamento em Santiago, no Chile — Foto: Noemi Fortunato Nascimento/Arquivo Pessoal

Bombeiros chilenos suspeitam que um vazamento de gás tenha causado as mortes. O prédio todo, no Centro da capital chilena, foi esvaziado durante as operações. De acordo com a Polícia Civil de Santa Catarina, a família estava em Santiago para comemorar o aniversário de um dos filhos, uma adolescente

As vítimas eram:

  • Fabiano de Souza, 41 anos (pai dos adolescentes e marido de Débora)
  • Débora Muniz Nascimento de Souza, 38 anos (mãe dos adolescentes e mulher de Fabiano)
  • Caroline Nascimento de Souza, que completaria 15 anos nesta semana (filha de Fabiano e Débora)
  • Felipe Nascimento de Souza, 13 (filho de Fabiano e Débora)
  • Jonathas Nascimento Krueger, 30 anos (catarinense irmão de Débora e marido de Adriane)
  • Adriane Krueger (goiana mulher de Jonathas)

    Jonathas e Adriana foram encontrados mortos no Chile — Foto: Noemi Fortunato Nascimento/Divulgação

As informações foram repassadas por Noemi Fortunato Nascimento, prima de Jonathas e Débora.

“O irmão da Drica está indo hoje para lá. Por enquanto, ainda não sabemos como será o translado, estamos aguardando por mais informações”, explica a prima.

De acordo com o Itamaraty, parentes das vítimas que estavam no Brasil não conseguiram entrar em contato por telefone com os familiares e suspeitaram que algo poderia ter acontecido.

Eles, então, procuraram um delegado em Santa Catarina, que ligou para um número de celular que o Consulado do Brasil em Santiago disponibiliza para que brasileiros em problemas entrem em contato.

Um diplomata brasileiro recebeu a chamada e foi até o prédio. Ele chamou os bombeiros, que encontraram os seis corpos no apartamento, que tinha um forte cheiro de gás, segundo o comandante da polícia chilena, Rodrigo Soto

O edifício onde ocorreram as mortes fica na esquina das ruas Santo Domingo e Mosqueto, no centro de Santiago. As autoridades ainda não sabem o que causou o vazamento nem por quanto tempo as vítimas respiraram o gás.

Bombeiros ainda fazem perícia para comprovar o vazamento, de acordo com o jornal “El Mercurio”.

 

 

Fonte: G1||

print

Comentários