Há cerca de um ano, algumas guaritas em Formiga já estão sem os profissionais após as 22h.

 Com o início da pandemia houve muitos afastamentos devido a Covid-19 e falta de profissionais para ocuparem as vagas.

Somado a isso, se agrava o posicionamento da VLI que não colabora com os custos da folha salarial, nem apresenta alternativas em substituição à mão de obra destinada às passagens de nível.

O assunto está em discussão junto ao Poder Executivo e a VLI para chegarem a uma solução. As passagens que não terão guariteiro, por tempo indeterminado, entre às 22h e 6h são: Cidade Nova; Cristo; Marechal Deodoro; Asadef; Mina Santa e nas proximidades do Tiro de Guerra.

Além disso, em fevereiro deste ano, o prefeito Eugênio Vilela e a vice-prefeita Adriana Padro estiveram com o Ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, onde foi debatida a renovação da concessão da exploração da malha ferroviária pela VLI.

Segundo o ministro, no início de 2022 o contrato de renovação de concessão estará assinado e será apresentado também, nessa renovação, um cronograma da retirada da linha férrea da área urbana de Formiga.

São 18km a um custo aproximado de R$180 milhões. A VLI tem que apresentar, assim que renovar a concessão, um cronograma de execução das obras.

O projeto de Formiga está à frente, foi aprovado em 2015 e o ministro acredita que em três anos, no máximo, seja executado todo este projeto da retirada da linha férrea da área urbana do nosso município.

Imprimir
Comentários