Por Chico Maia

Grenoble é uma belíssima cidade dos Alpes, a 575 quilômetros de Paris, ao sul, na divisa com a Itália. Ficou mundialmente famosa ao receber os Jogos Olímpicos de Inverno de 1968. Tem um dos maiores e mais procurados complexos de esqui do mundo, e lamentavelmente foi aqui, mais precisamente nas montanhas de Méribel, a 17 quilômetros, que Michael Schumacher, bateu a cabeça numa pedra, no dia 29 de dezembro de 2013 e se acabou para a vida normal. Cidade turística e universitária (entre 50 e 60 mil estudantes), 175 mil habitantes, recebeu a seleção brasileira em sua estreia na Copa do Mundo feminina.

Uma vitória de 3 a 0 na largada anima qualquer ambiente. Vale principalmente para a seleção comandada pelo Vadão, que chegou completamente desacreditada para esta disputa na França. A Jamaica não é adversária de peso, mas o time brasileiro vinha de péssimos resultados nos amistosos preparatórios. Marta sempre fará falta, mas Cristiane estava inspirada e retornou à seleção exatamente para ajudar levantar o astral do grupo. Ela é uma jogadora de personalidade, que fala o que pensa e enfrenta as consequências. Desde o início de 2018 tinha decidido não jogar mais na seleção.

Candidata a primeiro lugar deste Grupo C, na fase de classificação, a Itália está em segundo, já que venceu a Austrália por 2 a 1, perdendo no saldo de gols. Aliás, as australianas treinaram muito e querem se classificar. Serão as próximas adversárias do Brasil, dia 13, quinta-feira, 13 horas em Montpellier.

 

Imprimir