Eduardo Azeredo era esperado na 1ª Delegacia da Polícia Civil na noite dessa terça-feira (22), mas a entrega não aconteceu e deve ficar para esta quarta-feira (23). Em coletiva, o delegado Aloisio Fagundes informou que não houve acordo e que a polícia não trabalha com a ideia de prender Azeredo na casa dele, no bairro Serra, região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Nesta terça, a Polícia Civil recebeu o mandado de prisão expedido pela Justiça, após esgotadas as possibilidades de recurso relativos à condenação de 20 anos e um mês de cadeia no mensalão mineiro.

Mais cedo, os agentes faziam diligências para cumprir o mandado. A polícia não tinha permissão para entrar na residência dele após as 18h.

Por unanimidade, desembargadores da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais rejeitaram nesta terça os embargos declaratórios, última possibilidade de recursos de Eduardo Azeredo.

Todos os magistrados decidiram manter a condenação de 20 anos e um mês de prisão, pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro por envolvimento no mensalão tucano.

O ex-governador deixou sua residência no meio da tarde, ainda quando transcorria o julgamento de seu recurso no TJ. Azeredo aguarda decisão sobre habeas corpus apresentado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Imprimir

Fonte:

O Tempo Online