A Prefeitura de Blumenau, no Vale do Itajaí, está vacinando educadores físicos contra a Covid-19.

Os profissionais foram incluídos no grupo prioritário de imunização, segundo a Secretaria de Promoção da Saúde (Semus), por serem considerados da área da saúde, incluindo os que trabalham em academias. Por isso, ainda segundo a Prefeitura, eles estão sendo vacinados antes dos idosos acima de 90 anos.

De acordo com a pasta, os trabalhadores da linha de frente do coronavírus já receberam as primeiras doses, assim como servidores de casas geriátricas e idosos institucionalizados. No município, 5.481 foram vacinadas até a noite de domingo (7).

Entre sexta-feira (5), quando a Prefeitura ampliou a vacinação entre profissionais de saúde, e foram 1,3 mil vacinados. Mais 1,2 mil devem ser vacinados nesta terça (9) e quarta-feira (10). O número de educadores físicos já vacinados não foi informado.

A Prefeitura de Blumenau justificou que os profissionais de educação física estão contemplados no Informe Técnico Estadual da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19. Para receber a vacina, os educadores físicos precisam apresentar a carteira do Conselho Regional de Educação Física (CREF/SC).

Em Santa Catarina, o Plano Estadual descreve os trabalhadores dos serviços de saúde na lista de grupos prioritários, e inclui nessa categoria todos os que atuam em espaços e estabelecimentos de saúde, como hospitais, clínicas e laboratório, sejam eles profissionais da saúde (como médicos, enfermeiros, veterinários e profissionais de educação física), como trabalhadores de apoio (cozinheiros, seguranças, recepcionistas, por exemplo).

Nessa segunda-feira (8), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski determinou que o governo defina uma ordem de preferência, entre os grupos prioritários, para orientar a vacinação contra a Covid-19. Conforme o ministro, a ordem deve seguir critérios-científicos, e a divulgação tem de ser feita em até cinco dias após o governo ser notificado.

MP pede esclarecimentos

Após as primeiras informações sobre a vacinação de outros profissionais, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), instaurou um procedimento para verificar o fato. O município foi notificado na sexta-feira (5) e tem até está terça-feira (9) para esclarecer se houve irregularidades.

De acordo com o portal G1, o promotor Odair Tramontin, da 15ª Promotoria de Justiça de Blumenau informou que somente após a resposta do município é que será possível tomar uma providência.

“No pedido de informações, o município, considerando que uma das denúncias menciona possíveis privilégios à autoridade municipal, deverá informar quais os mecanismos adotados para o controle das pessoas incluídas no respectivo grupo prioritário de imunização, com o objetivo de construir uma fórmula segura para evitar burlas e privilégios”, afirmou.

Fonte: G1

print
Comentários