Todos os servidores do Estado de Minas Gerais receberão o salário integral referente ao mês de agosto, nesta sexta-feira (6), no quinto dia útil do mês. O fim do parcelamento dos salários já havia sido anunciado pelo governo de Minas e a data do pagamento foi reforçada, nesta terça-feira (3), pelo governador Romeu Zema (Novo), em suas redes sociais. 

“Depois de mais de 5 anos de atraso e parcelamentos, o salário dos servidores será pago no 5º dia útil do mês a partir de agosto”, afirmou Zema no twitter. 

O anúncio do fim do pagamento parcelado dos salários – que ocorre desde 2016- foi feito no último dia 16 por Zema em vídeo publicado nas redes sociais. No anúncio, o governador já estipulou que o pagamento seria, a partir do mês de agosto, em todo dia 5° útil do mês 

Os parcelamentos e atrasos dos salários do funcionalismo público mineiro começaram em fevereiro de 2016. Mais recentemente, o governo de Minas, já sob a atual administração, conseguiu reduzir o pagamento de três para duas parcelas e, desde junho de 2020, pagar o salário integral dos servidores da Saúde e da Segurança já no 5º dia útil.

Venda da Folha

No dia do anúncio, o governo concretizou a venda da folha de pagamento do Estado para o Itaú por R$ 2,42 bilhões. O valor foi 18% superior ao lance mínimo do leilão (R$ 2,052 bilhões).

“Primeiro, conseguimos garantir a previsibilidade ao diminuir o número de parcelas de três para duas, sempre pagando na data divulgada, sem atraso. Agora, com os recursos obtidos com a venda da folha de pagamento do Estado, teremos plenas condições de garantir que os servidores recebam os seus salários integralmente”, informou o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa na época.

O contrato com o Itaú terá duração de cinco anos e o dinheiro será depositado em parcela única em uma conta do Tesouro Estadual. Na prática, isso significa que o servidor passará a receber o salário, a aposentadoria e a pensão neste banco.

Segundo o governo, ainda será esclarecido ao servidor como essa transição será feita, já que o novo contrato só entra em vigor em dezembro de 2021.

Fonte: O Tempo Online

print
Comentários