Lorene Pedrosa

Em plena greve dos bancos públicos (Caixa Econômica e Banco do Brasil), servidores da Prefeitura de Formiga voltaram a receber cartas de cobrança por atraso no pagamento de empréstimos consignados (debitados em folha de pagamento).

O mesmo problema foi denunciado pelo jornal Nova Imprensa em dezembro do ano passado, quando alguns funcionários públicos receberam avisos semelhantes, inclusive, de empresas de negativação de crédito (Serasa e SPC).

Dessa vez, os atrasos no pagamento são referentes a valores (prestações) já descontados no salário do mês de julho. No texto da notificação, em casos em que os valores já tenham sido debitados em contracheque, é aconselhada a presença do contratante (servidor público) na agência do banco para solucionar o problema. “Estive na agência assim que recebi a cobrança e lá me informaram que diante da greve, não há o que fazer e que a única alternativa é aguardar o fim da paralisação dos bancários. Enquanto isso, eu fico à mercê de ter o nome negativado por uma dívida que já está paga”, comentou uma servidora que recebeu o aviso na sexta-feira passada (9).

“Esses atrasos precisam parar! Agora com o afastamento do prefeito, quando a gente achava que as coisas iam melhorar vem essa notícia de problemas deixados por ele”, comentou outro servidor que, indignado, informou que pretende buscar ajuda junto ao Ministério Público, uma vez que a apropriação desses valores por parte da administração é criminosa.

Na Prefeitura

Assim que chegaram as denúncias, o jornal entrou em contato com a administração municipal que enviou nota afirmando que todos os valores estão devidamente quitados:

“A respeito de cartas relacionadas a cobranças de empréstimos consignados efetuados por servidores municipais, a Prefeitura de Formiga esclarece que:

1) O débito a que se refere essa cobrança está devidamente quitado e os servidores podem desconsiderar esses avisos. Em caso de dúvida, basta procurar a instituição financeira que receberão mais informações.

2) A Secretaria de Fazenda está em contato com as instituições financeiras para obter informações detalhadas dos motivos de esses avisos terem sido emitidos e ressalta que está trabalhando com afinco para que essa situação não volte a se repetir”.

Imprimir

Comentários