O Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Sindtanque-MG) não descarta retomar a greve dos caminhoneiros, caso não chegue em acordo com o governo estadual nos próximos dias, de acordo com o presidente da entidade, Irani Gomes. O Executivo terá uma reunião com os grevistas nesta semana, mas até então não marcou uma data. 

O sindicato demanda redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o diesel de 15% para 12%. O governo já afirmou, à imprensa, não ser possível concretizar a redução, dada a situação fiscal do Estado, porém os termos da negociação com os caminhoneiros ainda serão discutidos por um grupo de trabalho formado por membros do governo e dos manifestantes, segundo o governador Romeu Zema (Novo). A paralisação foi suspensa no final da noite de sexta-feira.

Após filas quilométricas de motoristas tentando abastecer durante a sexta, o fornecimento de combustíveis aos postos do Estado deve retornar à normalidade ao longo deste domingo, prevê o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro). Em postos da capital mineira visitados pela reportagem, o movimento era tranquilo até o início desta tarde.

Fonte: O Tempo Online

Imprimir
Comentários