Subiu para dois o número de casos de sarampo confirmados em Nova Serrana, de acordo com o Boletim Epidemiológico divulgado nessa sexta-feira (13) pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Divinópolis e Itaúna seguem cada uma com um caso.

O primeiro caso da doença em Nova Serrana foi confirmado no dia 23 de outubro. Na ocasião, a Secretaria de Saúde da cidade informou através de nota que o registro foi em um menino de um ano.

De acordo com o portal G1, nesse novo caso, a secretária de Saúde, Gláucia Sbampato, disse que ainda não obteve informações sobre o paciente. No entanto, adiantou que o caso começou a ser investigado no mês passado. Outras informações sobre o paciente serão repassadas na próxima segunda-feira (16).

Segundo a pasta, quando o caso ainda era considerado suspeito, foi realizado o bloqueio vacinal na cidade e todas as outras medidas necessárias para impedir o crescimento de outros no município.

Divinópolis

O caso de Divinópolis foi constatado no último mês e, conforme a Prefeitura, o paciente é um homem de 55 anos, que foi notificado na cidade de São Paulo. Segundo o Executivo, todos os procedimentos foram feitos na capital paulista, no Hospital das Clínicas, no dia 11 de setembro. A Administração também explicou que o homem é viajante e que ficava em um hotel de São Paulo de terça a sexta-feira, e deu o endereço de Divinópolis por ter uma casa na cidade.

Itaúna

Já Itaúna foi a primeira cidade da região a confirmar um caso da doença em 2019. A informação foi divulgada pela SES-MG em 19 de setembro. O caso foi confirmado através de técnica laboratorial de sorologia. O boletim afirma que o caso foi importado de São Paulo.

No dia 30 de agosto, a Prefeitura de Itaúna informou que a paciente era uma jovem de 20 anos que deu entrada no pronto-socorro do Hospital Manoel Gonçalves no dia 8 de agosto. “Devido aos sinais e sintomas compatíveis com a doença, foi coletado material e enviado para exame na Fundação Ezequiel Dias (Funed), o qual teve resultado positivo”, informou na época.

Ainda conforme a SES-MG, a paciente recebeu a vacina para impedir a evolução da doença. O Executivo disse que a jovem estava bem, e em casa.

 

 

 

Imprimir