A medida que os trabalhos do Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, e Polícia Rodoviária Federal (PRF) prosseguem, os números da tragédia na BR-251, na Serra de Francisco Sá, na Região Norte de Minas Gerais, só aumentam.

De acordo com o jornal Estado de Minas, subiu para oito o número de mortes no engavetamento que envolveu 11 veículos. A informação foi confirmada na tarde desta segunda-feira (16) pela assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros. Outras 53 pessoas ficaram feridas.

O acidente aconteceu por volta das 8h30 desta segunda-feira no km 474 da rodovia. Se envolveram na ocorrência 11 veículos, sendo cinco carros, cinco carretas e um ônibus. Após a sequência de batidas,  os veículos pegaram fogo. O Corpo de Bombeiros conseguiu controlar o incêndio por volta das 11h40. Mesmo assim, a intensa fumaça no local atrapalhou o socorro das vítimas.

O motorista de uma das carretas teve o corpo carbonizado e morreu ainda no local. Outras três pessoas que estavam em um Gol também morreram. Elas eram funcionárias da área da saúde do município de Josenópolis, Norte de Minas. Há também um morto em um Corolla.

Entre os feridos está um policial militar. Rafael Pedro Santana é lotado na cidade de Mato Verde e teve 90% do corpo queimado. A mãe dele estaria entre os mortos. Não foram divulgados os nomes das vítimas.

 

 

(Fotos: Corpo de Bombeiros/Divulgação )

De acordo com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu Macronorte), que atende a região, um helicóptero transferiu para o Hospital de Pronto-socorro de Montes Claros uma vítima que estava em estado grave. Nesta tarde, outras cinco pessoas foram levadas para a mesma unidade de saúde de ambulância. Entre elas está uma criança de 5 anos. O estado de saúde delas não foi informado.

Equipes da PRF, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (Samu), do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil seguem os trabalhos no local. Um dos veículos envolvidos na batida  transportava gás liquefeito de petróleo (GLP), com risco de explosões.

A rodovia continua completamente interditada, sem previsão de liberação. Os motoristas devem pegar desvios.

IMPRIMIR

Fonte:

Estado de Minas