O sol passa por um de seus períodos mais quietos por quase um século, praticamente sem manchas solares (explosões na atmosfera solar) e emitindo poucas chamas.
A observação da estrela mais próxima da Terra está intrigando os astrônomos, que estão prestes a estudar novas imagens do sol captadas no espaço na Reunião Nacional de Astronomia do Reino Unido.
O sol normalmente passa por ciclos de atividade de 11 anos. Em seu pico, ele tem uma atmosfera efervescente que lança chamas e pedaços gasosos super quentes do tamanho de pequenos planetas. Depois deste pico, o astro normalmente passa por um período de calmaria.
Em meados do século 17, um período de calmaria – conhecido como Maunder Minimum – durou 70 anos, provocando uma mini era do gelo.
Por isso, alguns especialistas sugeriram que um esfriamento semelhante do sol poderia compensar os efeitos das mudanças climáticas.
Mas segundo o professor Richard Harrison, do Rutherford Appleton Laboratory, o atual período de baixa atividade do sol poderá durar pouco.
Não sabemos até quando esse período vai durar. Pode ser que amanhã o sol já fique mais ativo, não temos como saber, diz Harrison.
Há evidências que mostram que o sol está enfraquecendo desde 1985, mas isso não ajudou a baixar as temperaturas causadas pelo aquecimento global.

Imprimir
Comentários