O presidente do Conselho Municipal de Saúde de Divinópolis, Warlon Carlos Elias, denunciou nessa quinta-feira (3) a suspeita de desvio de quase R$2,5 milhões de recursos da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto. A denúncia foi apresentada durante sessão da Câmara de Vereadores.

De acordo com Warlon Carlos Elias, o dinheiro seria tirado da conta da UPA para os cofres da Santa Casa de Formiga, que administra a unidade. A Santa Casa de Formiga ainda não se pronunciou sobre a denúncia.

Em nota, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Divinópolis informou que a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) não vai se manifestar sobre o assunto, uma vez que a UPA Padre Roberto está sob investigação por parte de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara e do Ministério Público Estadual (MPE).

Presidente do Conselho de Saúde denunciou desvio de verba da UPA de Divinópolis durante sessão da Câmara nesta quinta-feira (3) (Foto: Reprodução/TV Integração)

 Indícios

No documento apresentado pelo presidente do conselho aos vereadores, há mais de 70 transferências que teriam saído da UPA entre janeiro de 2016 e dezembro de 2017.

Warlon Carlos Elias diz que os quase R$2,5 milhões foram descobertos após uma primeira denúncia de desvios que o conselho recebeu.

“No ano passado, nós tivemos algumas denúncias e a gente foi apurar. Dentre essas denúncias, a gente estava apurando um desvio de aproximadamente R$300 mil e, através, desse documento, a gente chegou a esses números”, relata.

Outra suspeita

Ainda conforme dados levantados pelo conselho, há indícios de desvio de verba da Saúde Municipal para custear despesas da Secretaria de Desenvolvimento Social desde 2014. O valor seria de R$2 mil por mês.

“Se o dinheiro está sendo utilizado para custear despesas do serviço de outra secretaria, isso é um crime”, observa o conselheiro.

Sobre o suposto desvio de dinheiro da Secretaria de Saúde de Divinópolis para a Secretaria de Desenvolvimento Social, a Prefeitura declarou ao jornal da TV Integração,  MGTV que não vai se pronunciar, segundo a assessoria.

Crise da UPA

A UPA de Divinópolis enfrenta uma crise financeira e administrativa, que se agravou em 2017. A unidade chegou a ter, inclusive, restrição de atendimento.

Uma portaria da Câmara Municipal, publicada no Diário Oficial dos Municípios Mineiros em dezembro de 2017, determinou a criação de uma CPI para apurar denúncias de irregularidades na gestão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto.

A UPA de Divinópolis é administrada pela Santa Casa de Caridade de Formiga por meio de contrato firmado com o município. Contudo, a Santa Casa também enfrenta uma crise financeira, que culminou no atraso de salários e restrição do atendimento a casos de urgência e emergência no ano passado.

 

Fonte: G1 ||

Imprimir

Comentários