Os dois suspeitos de assassinar a formiguense Jussara Carolina de Paula Favarini, 26 anos, no dia 17 de junho, em Uberlândia, não vão a Júri Popular.
O Ministério Público Estadual (MPE) informou que denunciou Nilson Rodrigues, 19, e Leandro Martins da Conceição, 18, pelos crimes de latrocínio (roubo seguido de morte) e estupro. A decisão é contrária ao pedido no indiciamento feito pela Polícia Civil (PC).
Segundo o Código Penal Brasileiro, o latrocínio é caracterizado como um crime contra o patrimônio e, por isso, deve ser julgado em uma Vara Criminal comum. Eles só iriam a júri caso fossem acusados por homicídio, que é um crime contra a pessoa, como apontava o inquérito produzido pela polícia.
A decisão do MPE foi dada pelo promotor de Justiça Sylvio Fausto, do Tribunal do Júri. Segundo ele, após uma análise detalhada, a questão de a dupla ter matado para encobrir os crimes anteriores, interpretação adotada pela polícia para justificar o crime homicídio, foi descartada. ?Entendi que as circunstâncias confirmavam que mataram para levar os pertences da vítima, como foi feito?, disse.
O promotor disse também que pediu, na denúncia, pena máxima para os crimes de latrocínio e estupro. ?São 30 para um e 30 para outro, totalizando 60 anos de reclusão para cada um dos acusados?, disse. O processo contra Nilson e Leandro correrá na 3ª Vara Criminal de Uberlândia. O promotor Wagner Marteletto será responsável pelo caso a partir de agora.

print
Comentários