A polêmica sobre a suspensão do programa jornalístico ?Rádio Jornal? foi discutida por alguns vereadores na reunião da Câmara Municipal de segunda-feira (4). Na quarta-feira da semana passada (30), a direção da Rádio 93 FM enviou um comunicado à imprensa informando que, na sexta-feira (1º), o programa jornalístico ?Rádio Jornal?, apresentado por Eduardo Batista e Wilson José, estaria suspenso por tempo indeterminado.
A justificativa da empresa é de que a medida foi tomada por questões de estudos de mudanças em horário da programação e que, em momento oportuno, estaria com outros horários para melhor informar a população.
O vereador Gonçalo Faria/PSB falou sobre o assunto e disse que ficou triste com o ocorrido. ?Independente, não vai nenhuma crítica pessoal a quem quer que seja. Como está colocado na imprensa em Formiga, a questão de tirar, de sair do ar, não sei se foi uma decisão da diretoria da empresa, eu não sei, ou se foi por outras imposições. O que eu sei é que, tanto na Argentina [matéria lida pelo vereador na revista Veja], como em Formiga, existe o ?cala a boca à imprensa?. Na minha opinião, a imprensa tem todo o direito de criticar a quem quer que seja, de A a B, mas, a imprensa também tem que ter a noção e a responsabilidade de que existe uma lei de imprensa que ela deve seguir. Aquele que se sente prejudicado por qualquer ato da imprensa, ele tem diversas formas de fazer as coisas. Muda de canal, muda de estação, deixa de assinar o jornal por não concordar com aquelas ideais. Fica aqui a minha solidariedade com a imprensa como um todo. Não se pode hoje, em 2011, 47 anos depois [da ditadura] termos em Formiga atitudes que prejudicam a democracia, que deixa mais pobre o livre pensar?, contou Gonçalo Faria/PSB.
Cid Corrêa/PR se pronunciou sobre o assunto. ?Há alguns dias, o radialista Eduardo Batista no programa me ofendeu covardemente. Eu e meu irmão, que também é meu advogado, pedimos uma cópia do referido programa de jornal. Eu que busco ser o mais educado possível com todas as pessoas. Eu quero deixar bem claro para a população de Formiga que, nas ditaduras, os meios de comunicação são usados para oprimir, para ofender e para denegrir a honra daqueles que são contra os poderosos. Em Formiga, nós estamos vendo a ditadura da atual administração, que vem oprimindo a população mais carente de Formiga. A ditadura da atual administração dá dinheiro para radialista atacar aos vereadores de oposição e querem que nada aconteça. Não se respeita o direito individual. Um jornalismo feito na democracia é um jornalismo ético, que respeita todos os envolvidos. O jornal não pode ser usado como um trampolim para conseguir um emprego na Prefeitura. Toda vez que tentarem me atacar, vou procurar os meus direitos e vou tentar me defender. Se o dono da rádio fechou o programa era porque tinha alguma coisa errada. Não pedi o fechamento do programa ?Rádio Jornal? e nem tenho o poder para isso?, defendeu o vereador.
Na segunda-feira (4), Eduardo Batista enviou uma nota à imprensa agradecendo a solidariedade recebida por alguns amigos: ?Agradeço a todos os meus amigos e ouvintes pelas milhares de manifestações de carinho e afeto e também de indignação, pela forma arbitrária que meu programa ?Rádio Jornal? foi brutalmente tirado do ar, justamente no dia 31 de março, data do mesmo, coincidência ou não, o mesmo dia 31 de março de 1964, dia do Golpe Militar, onde todos nós brasileiros fomos amordaçados e perseguidos, por pessoas contrárias à liberdade de expressão e o direito de ir e vir livremente, nunca mais em tempo algum conseguirão calar esta voz, que tenho certeza representava a voz de milhares de formiguenses e também de toda minha nação católica, aguardem muito em breve estarei de volta, mais forte do que antes?.
O radialista agradeceu a algumas pessoas, que de acordo com ele, ficaram igualmente indignados:
Aluísio Veloso – prefeito municipal
Túlio Fonseca – secretário de comunicação
Sheldon Almeida – chefe Gabinete
Mauro César – vereador
Eugênio Vilela Júnior – vereador
Cabo Cunha – vereador
Gonçalo Faria – vereador
Moacir Ribeiro – vereador
Paulo Coelho – jornalista
Eliane Estevão – jornalista
Danilo Garcia – jornalista
Lenir Campos – jornalista
Gilson Vieira – professor
Carlyle Ribeiro – professor
Benjamim Belo – advogado
Marco Antonio de Souza Leão – reitor do Unifor-MG
Cleomar de Matos – professor
Maria Tereza Lara/PT – deputada estadual
Miguel Corrêa Junior/PT – deputado federal
Antônio Andrade/PMDB – deputado federal.

Imprimir
Comentários