Redação Últimas Notícias 

No início deste mês, um vídeo registrando um tamanduá-bandeira passeando pela área urbana em Formiga viralizou na internet e virou notícia em diversos veículos de comunicação.

Originário do continente americano (América do Sul e Central), a espécie do mamífero já foi extinta em alguns lugares e no Brasil é um dos animais que figuram na lista de risco de extinção. Nesta semana, internautas flagraram novamente o mamífero passeando próximo ao Unifor-MG.

De acordo com moradores do bairro Água Vermelha, o animal está vivendo nas proximidades do Centro Universitário e passeia pelas ruas dos bairros vizinhos, praticamente todas as noites. “É um animal magnífico que está sendo castigado pela ignorância humana. Até bebida alcóolica já ofereceram para ele, sem contar que algumas pessoas estão apavoradas pela falta de conhecimento sobre o animal, e assim sendo, alguns até  ameaçam matá-lo”, disse um morador da rua Nossa Senhora da Abadia.

O Últimas Notícias entrou em contato com a Polícia de Meio Ambiente e com o Corpo de Bombeiros para saber por quais razões o animal ainda não havia sido resgatado.

De acordo com o tenente Duarte, da Polícia de Meio Ambiente, o tamanduá está no habitat natural dele e não será retirado dali, se não estiver correndo riscos. “O local onde o animal está vivendo é Área de Preservação Ambiental. A partir do momento em que ele estiver sendo maltratado ou correr riscos, aí sim tomaremos providências. Se for uma fêmea e tiver com cria, retirá-la dali, poderá acarretar a morte dos filhotes,” explicou.

Quanto à informação de tentativa criminosa de se dar bebida alcóolica ao animal ou mesmo as ameaças dos moradores de matá-lo, a polícia solicita que a população tenha consciência ambiental e respeite o tamanduá.  “A espécie vem sofrendo muito nas últimas décadas com a perda de seu habitat. A principal causa é o desmatamento e a expansão das áreas urbanas e a população precisa respeitar o meio ambiente, pois quem agir de forma diferente, será incurso na lei”, finalizou o tenente Duarte.

Caso o animal esteja correndo riscos, qualquer cidadão poderá entrar em contato, durante o dia com a Polícia Ambiental pelo telefone (37) 3322-1454 e à noite com o Corpo de Bombeiros no 193.

O comandante do Corpo de Bombeiros, 2º tenente Mateus Campos Cunha solicita que a população entre em contato com a corporação e informe o local exato onde o animal for visto. “Assim realizaremos o resgate para encaminhá-lo para o Centro Veterinário de Acolhimento e Guarda de Animais (CVAGA), no Unifor-MG, caso ele necessite de cuidados ou iremos reinseri-lo em seu habitat natural”.

O tamanduá-bandeira

O tamanduá-bandeira é um mamífero nativo da América. Ele recebe esse nome uma vez que sua cauda tem forma de uma bandeira. O animal vive em campos, áreas abertas e florestas tropicais. Ele é encontrado em todos os biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Mata Atlântica, Pantanal, Cerrado e Pampa.

O tamanduá-bandeira se alimenta principalmente de pequenos insetos, por exemplo, formigas, cupins, larvas, centopeias, vermes. Por não possuir dentes, ele os engole sem mastigar. Ao encontrar alimento, eles cavam o chão com suas garras e colocam a língua no buraco. Os insetos ficam grudados na língua dele. Em alguns locais eles se alimentam de frutas.

A espécie vem sofrendo muito nas últimas décadas com a perda de seu habitat. Além disso, a caça ilegal e o atropelamento desses animais têm contribuído para a diminuição da espécie. Os incêndios nas florestas também tem sido um fator determinante para o aumento do risco de extinção.

Alguns projetos ligados à conservação da espécie têm realizado a reprodução dos tamanduás-bandeiras em cativeiro. É um animal que está presente em todos os estados do Brasil. Pesquisas recentes apontam que a espécie foi extinta no Espírito Santo e no Rio de Janeiro.

IMPRIMIR

Fonte:

Com informações do portal Toda Matéria