Estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a população brasileira cresceu 1% e totalizou 191,8 milhões de pessoas em 2009. As informações estão incluídas na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgadas nesta quarta-feira (8) pelo órgão.
O levantamento mostra que, pela primeira vez na atual série histórica, iniciada em 2001, a taxa de fecundidade no país aumentou. Em 2009, era de 1,94 filho por mulher, ante 1,89 filho por mulher em 2008. No início da série, em 2001, eram 2,33 filhos por mulher, taxa recorde na série.
A população idosa continua a crescer no país. De acordo com a pesquisa, o número de brasileiros com faixa etária acima de 60 anos aumentou em 697 mil pessoas de 2008 para 2009 (alta de 3,3%). Os idosos são 21,7 milhões de pessoas, o equivalente a 11,3% do total. Em contrapartida, houve redução na população jovem, de 0 a 24 anos, que está em 79,8 milhões de pessoas. Em 2009, representavam 41,6% da população, ante 46,3% em 2004.
A população entre 25 a 39 anos representou 23,7% do total e a faixa etária entre 40 a 59 anos já representa 23,4% da população.
Na divisão por sexo, há 51,3% de mulheres para 48,7% de homens. Apesar de serem maioria, as mulheres são a minoria no mercado de trabalho, ocupando 42,6% dos cargos. A média salarial das mulheres também é menor. Em 2004, o rendimento médio mensal das mulheres era de R$ 613, chegando a R$ 786 em 2009. Já os homens tiveram um crescimento no rendimento médio de R$ 964 para R$ 1.171 no mesmo período. Proporcionalmente, a renda das mulheres subiu de 63,6% da renda dos homens em 2004 para 67,1% no ano passado.
Outro dado importante da Pnad foi em relação a cor da população brasileira: 48,2% se declarou branca, 44,2% afirmaram ser pardas, e 6,9% disseram ter cor preta. Os amarelos ou indígenas ocupam 0,7%.

Imprimir
Comentários