Presente nos carros, celulares e, pasmem, até no Twitter, o GPS vem deixando para trás aquele velho costume de parar na esquina e perguntar para quem passa sobre a localização de tal rua. Quem dispõe da tecnologia, consegue facilitar o dia-a-dia, seja na localização desses lugares desconhecidos´, como também visualização das melhores rotas, onde o trânsito é mais intenso e, em alguns aparelhos, até a velocidade de tráfego e sinalização.
Basicamente o equipamento funciona a partir de imagens desenhadas por geógrafos sobre ruas, praças e parques que são cruzadas com coordenadas globais. Com o mapa em vetor, técnicos unem aos dados, o nome de ruas, tráfego e outros serviços.
Segundo os dados mais recentes sobre o mercado, que são de 2008, o crescimento anual do setor beira os 20%. Naquele ano, a compra de GPS´s movimentou R$ 620 milhões. Como o mercado de navegadores automotivos está em expansão, empresas buscam cada vez mais acoplar ao aparelho informações úteis para facilitar o cotidiano, sendo, em alguns casos, inseridos mapas detalhados sobre a situação das vias de tráfego terrestre e tempo estimado de percurso.
Na Europa, um equipamento, ainda em fase de testes, busca de além traçar a rota para o usuário, calcular em quanto tempo o próximo sinal vai ficar vermelho ou verde, mostra se a velocidade do carro está acima ou abaixo da média e sinalizar quando a distância de segurança em relação ao veículo da frente não está sendo cumprida. O objetivo desse tipo de acessório é aprimorar cada vez mais o quesito segurança nos carros, além de auxiliar os motoristas em situações adversas.

Imprimir
Comentários