Na tentativa de tentar abaixar o preço do feijão, que subiu 33,49% neste ano segundo pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o presidente da República interino, Michel Temer (PMDB), anunciou na quarta-feira (22) que irá importar o produto de países vizinhos, como Argentina, Paraguai e Bolívia.

O anúncio da medida foi feito através da conta oficial de Temer no Twitter. Ele chegou a usar a hashtag #TemerBaixaOPreçoDoFeijão, que era o quinto assunto mais comentado na rede social às 12h30 desta quarta-feira.

Além da importação, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, também recomendará aos supermercados que busquem o produto onde há maior oferta.

Motivos do preço alto

De acordo com Caio Coimbra, analista de agronegócios da Federação da Agricultura de Minas Gerais, o motivo do aumento do preço do feijão é as condições climáticas. No Paraná, maior produtor do país, as lavouras foram muito afetadas pela chuva e agora, pelo frio. “Oferta menor é sinal de preço em elevação”, aponta.

Segundo ele, entre abril e maio houve uma redução de cerca de 20% da produção naquele Estado. Minas, o segundo produtor, também sofreu com a chuva.

 

Fonte: O Tempo Online ||

print

Comentários