A forte chuva que atingiu Belo Horizonte e a região metropolitana da cidade na tarde deste sábado (14) causou a morte de um homem de 70 anos e deixou um rastro de destruição em vias.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima fatal foi soterrada após um muro desabar no bairro Coqueiros, região Noroeste de BH. Uma mulher foi retirada dos escombros com ferimentos nas pernas e encaminhada a um hospital. Os nomes de ambos não foram informados.

A chuva também causou transtornos e estragos. O córrego da avenida Bernardo Vasconcelos, no bairro Palmares, região Nordeste, transbordou e arrastou carros. Não houve vítimas. A avenida Cristiano Machado, na mesma região, também ficou alagada. Houve registro de forte chuvas no bairro da Lagoinha, região Noroeste da capital, e no Prado, região Oeste.

Após a tempestade, o cenário na avenida Bernardo Vasconcelos era de caos. Alarmes disparados, carros empilhados e uma fila de reboques era o cenário que revelava uma das maiores enchentes registradas na avenida. Dezenas de carros foram arrastados pela força da correnteza depois de quase uma hora de temporal que provocou o transbordamento do córrego Cachoeirinha.

O estudante Guilherme Albuquerque, 20, estava na casa da namorada quando recebeu uma ligação da mãe avisando do risco de inundação. Quando desceu para tentar tirar o carro já era tarde.”Eu vi toda a sequência acontecendo. Eu cheguei a água já estava na metade do carro e eu não quis arriscar. A água foi subindo tomou conta de todo o veículo. O automóvel começou a girar e depois foi arrastado e não vi ele mais”, conta. Ele só foi encontrar o veículo quando a água abaixou. Ele já estava no fim da avenida empilhado sobre outros três carros. Ao menos vinte veículos estavam na mesma situação.

Moradora da rua Bernardo Vasconcelos desde 2003, a estudante Luciana Araújo, 19, disse que a situação é recorrente, mas que essa é a mais violentas que se lembra. “Sempre inunda, estamos até acostumados. Mas dessa vez a água subiu mais alto e com muito mais força. De ter tanto prejuízo assim eu não me lembro” disse.

Do outro lado da Cristiano Machado, na avenida Alberto Cintra, o prejuízo foi dos comerciantes. “Choveu por ver de uma hora e logo a água tomou conta. Perdemos um dos nosso freezers, que não está funcionando, um prejuízo de R$3.200. Além disso, o bar está vazio e não vamos faturar hoje”, explicou, Victor Freitas, 24, proprietário de bares na região.

Em Betim, o Corpo de Bombeiros informou que recebeu 17 chamados, todos de pessoas ilhadas. Segundo o órgão, a avenida Juiz Marco Túlio Isaac em Betim foi a mais atingida, com carros arrastados e ônibus ilhados.

Previsão

A Defesa Civil de Belo Horizonte alerta que existe a possibilidade de chuva forte deve continuar nas próximas horas e recomenda que motoristas evitem transitar em áreas de alagamento (Av. Vilarinho, Bernardo Vasconcelos, Tereza Cristina, Cristiano Machado, Professor Clóvis Salgado, Heráclito Mourão Miranda) e adote rotas alternativas e medidas de autoproteção.

Segundo o órgão, há possibilidade de registro de até 40 mm, com raios e rajadas de vento em torno de 50 km/h até 8h de domingo (25).

 

Carros ficaram empilhados na av. Bernardo Vasconcelos (Foto: divulgação O Tempo Online)

IMPRIMIR

Fonte:

O Tempo Online